27.3.15

Autor da bibliografia de J.K. Rowling concede entrevista a EW e revela mais segredos de Harry Potter!

Philip W. Errington, estudioso da literatura britânica, falou novamente sobre o livro J.K. Rowling: A Bibliography 1997 -2013, que mostra detalhes, editorialmente falando, dos livros da autora mais influente da atualidade.

Em entrevista à revista Entertainment Weekly, Philip contou mais segredos que poderemos ler na sua obra, concluída em cerca de 5 anos, tangenciando todos os livros da série e mais os primeiros romances adultos de Rowling.

Curioso? Leia-a abaixo, traduzida para o português.

EW: Por que você quis fazer uma bibliografia literária de JK Rowling, em primeiro lugar?

PHILIP W. Errington: Eu trabalho na Sotheby's - que é uma casa de leilão - e vendemos regularmente livros de J.K Rowling. Há mais ou menos cinco anos, havia um vendedor de livros que entrou e estava olhando para alguns dos materiais que tínhamos para venda, e lamentando o fato de que não havia nenhuma fonte óbvia de informações corretas. Havia um monte de rumores em torno do comércio de livros. Havia um monte de declarações falsas. As pessoas apenas não sabiam necessariamente o que era verdadeiro ou o que era falso. E ele disse: "Você sabe, isso realmente deveria ser uma bibliografia." E eu pensei: "Bem, sim. Suponho que deveria."

Agora, a minha formação acadêmica é em bibliografia. Eu tenho um Ph.D, tendo feito uma bibliografia para ele de um autor diferente, e eu pensei: "Por que não?" E cinco anos depois, você sabe qual foi o resultado.

Qual foi o autor que você estudou para seu Ph.D.?

O autor que escolhi para fazer meu doutorado foi  John Masefield, que era poeta laureado, mas escreveu uma vasta quantidade de material. Portanto, é muito interessante ter uma opinião diferente sobre bibliografia, lidando com um escritor moderno, que não tinha publicado - ou eu pensava que não tinha - uma grande quantidade, ao contrário de Masefield, que escreveu centenas de livros.

Mas você sabe, com Jo Rowling foi realmente bastante revelador, uma vez que houve quatorze edições diferentes de Philosopher's Stone, e oito edições diferentes de Sorcerer's Stone. Vinte e duas edições foi um empreendimento bastante significativo.

Então, muitos costumam dizer: "Ela só escreveu sete livros, não foi?" Bem, você sabe, "não" é a resposta. Quando você começar a olhar, e você tem que trabalhar fora da cronologia, a sequência desses vinte e dois livros. Há muito o que ser trabalhado, muitas coisas para descobrir.

Fiquei surpreso com a informação que você não conseguiu encontrar, como datas de publicação específicos para os primeiros livros de Harry Potter.

Sim. É interessante ... Eu acho que eu tenho a maioria das datas para os livros de Bloomsbury, mas, nos Estados Unidos, alguns dos primeiros livros foram apenas inaugurados. Não houve hype, não houve um: "Bem, nós vamos lançar este num momento específico." Eles meio que se infiltraram no mercado, como se assim o fossem. Não há registros significativos. Até mesmo os editores não podem lhe dizer.

Mas eu acho que em si é bastante interessante. Se essa informação não está por perto, não foi registrada. Pode ser que uma livraria em um estado tivesse o livro alguns dias ou algumas semanas antes de uma livraria em outro estado. O fato é que agora pensamos nos últimos Harry Potter's todos tendo venda ao mesmo tempo. Isso faz parte do milagre da publicidade e do hype, e toda a expectativa. Com alguns dos livros de bolso mais tarde, ou alguns dos títulos anteriores, isso simplesmente não funcionava mais assim.

Eu também fiquei surpreso ao saber que os editores lançaram edições adultas de Harry Potter. Você escreve na bibliografia que a ideia para as edições adultas veio quando Bloomsbury ouviu falar de um homem escondendo seu livro de Harry Potter por baixo de uma cópia do The Economist.

Sim, isso é uma coisa muito interessante, e que acontece apenas no Reino Unido. Falei com Nigel Newton de Bloomsbury sobre isso, e ocorreu a eles a ideia de que alguns adultos estavam envergonhados de lê-lo porque tratava-se, obviamente,  de um livro infantil. Então eles trouxeram esta série adulta, onde o texto era exatamente o mesmo, é claro, mas ele possuía uma capa diferente. E, certamente, no Reino Unido, isso realmente ajudou. Agora eu questionei a Arthur Levine [da Scholastic] sobre isso, e ele disse que em sua experiência, os adultos [nos Estados Unidos] não tinham quaisquer escrúpulos em ler um livro infantil. Mas parece que os britânicos são um pouco mais restritos no que eles querem ser vistos lendo no metrô, ou no transporte público.

Por volta do quarto ou quinto livro, os editores britânicos foram trazendo as edições adultas e infantis no mesmo dia, numa espécie de adesivos para embalagens. Então, você poderia comprar duas edições para crianças e duas para adultos no mesmo pacote, de modo que toda a família pudesse ler.

Eu não posso imaginar que isso aconteça para outro livro.

Exatamente. E o que eu espero que seja bastante útil sobre a bibliografia é que ela esclareça as coisas e haja um registro disso. Há uma declaração de: "Esta é a forma como as coisas eram", porque, como o tempo passa, a maneira em que os livros foram trazidos tende a ser esquecida.

Você falou com J.K. Rowling durante o curso deste projeto. Ela parecia muito animada.

Sim, quero dizer, é uma linda espécie de mini-prefácio que ela escreveu para ele. E, para ser honesto, para qualquer bibliógrafo, o seu assunto aparecer e dizer que a obra é "servilmente completa" e "uma bibliografia incrível", você não pode deixar de sentir que fez algo certo. [Risos] Então, sim, muito satisfeito com isso.

Qual foi a parte mais surpreendente dessas informações que você encontrou?

Houve várias!

Você pode nos dizer alguns.

Okay, ótimo. Uma coisa que eu estava realmente satisfeito, para adicionar à sequência de seus livros, há quatro títulos adicionais de Jo Rowling, que as pessoas ainda não conhecem. Ela realmente escreveu quatro edições do Profeta Diário, o jornal dentro do Mundo Mágico, que foram impressas e distribuídas pela Bloomsbury ao Fã clube do Harry Potter. Estas quatro edições foram feitas inteiramente por ela. Então, se você estivesse olhando para a obra do autor, você saberia que entre a publicação americana de A Pedra Filosofal e a publicação inglesa de O Prisioneiro de Azkaban, ela escreveu duas edições de O Profeta Diário. Entre Azkaban e Cálice de Fogo, ela escreveu uma outra versão de O Profeta Diário.

Mas então eu suponho que a outra coisa interessante é a forma como o texto muda. O grande exemplo seria em O Cálice de Fogo. Por volta do final do livro, eu acho, a varinha de Voldemort traz de volta esses fantasmas que saem da varinha, na ordem inversa em que foram mortos. E Jo Rowling teve a seqüência errada! Isso foi apontado por fãs logo após a leitura. Eles disseram: "Espere um minuto. Ela obteve a ordem errada". Eu acho que a mãe de Harry ou o pai de Harry saiu na ordem errada. Portanto, há todos os tipos de pequenos detalhes como esse que são registrados no livro.

Qual foi a parte mais difícil de escrever este livro?

A parte um pouco mais difícil da pesquisa foi o de se certificar de que eu realmente veria as cópias certas para começar. Houve muita conversa, especialmente com as edições Scholastic, como as diferentes questões da primeira edição. Fiquei muito feliz, é claro, pelas pessoas terem me emprestado, ou terem me permitido o acesso a coleções particulares. Obviamente, as publicações mais recentes foram bastante fáceis, mas alguns dos primeiros livros, especialmente quando eles tinham um certo valor, esses sim têm sido bastante complicados para rastrear.

Então, se você tivesse uma carteira sem limites, e você dissesse: "Certo, eu quero uma coleção de Harry Potter amanhã", você não poderia realmente fazer tudo isso facilmente. Há uma escassez acerca de alguns destes livros agora. Muito embora eles tenham sido publicados pela primeira vez em 1997, eles não são fáceis de se rastrear.

Tradução: Clarissa Magalhães.
Revisão: Gabriel Pimentel.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Recentes

recentposts

Leia também!

randomposts