quarta-feira, 11 de novembro de 2015

Pottermore: Fofo e outras criaturas inspiradas na mitologia clássica


O Pottermore liberou hoje um texto sobre alguns animais mágicos - será que vamos ver todos eles em Animais Fantásticos? No texto vemos as influências mitológicas para essas criaturas, leia abaixo o texto traduzido!

Fofo e outras criaturas inspiradas na mitologia clássica


A maioria das pessoas reconhece unicórnios, centauros, gigantes e lobisomens, mas algumas das criaturas no mundo mágico tem raízes em mitologias clássicas com as quais você talvez não esteja tão familiarizado....

O cão de três cabeças

Existem exemplos de criaturas de muitas cabeças em várias mitologias, como a Hidra, a Quimera e o Cérbero – o cachorro que guarda os portões do sub-mundo e come todo mundo que ousar sair.

As descrições variam; Hesíodo diz que a criatura tem 50 cabeças, mas Cérbero é normalmente retratado com apenas três. Seneca também descreve o cão infernal com uma serpente como cauda. Um herói da mitologia Grega, Orfeu, usou música para embalar o sono de Cérbero e chegar até Hades pra salvar sua amada morta, Eurídice, então esse vira-lata monstruoso tem seu ponto fraco.

Fofo também tinha uma queda por música. J.K. Rowling revelou no Twitter que o filhote de três cabeças que guardava a Pedra Filosofal foi eventualmente “repatriado para a Grécia”.



O Basilisco

Com a reputação de ter o poder de matar apenas com o olhar, o nome do Basilisco vem da palavra grega “basilikos”, que quer dizer “pequeno rei”.

Uma das primeiras referências a esse monstro foi feita pelo naturalista romano Plínio, o Velho, que o descreveu como “tendo não mais de doze “dedos” de medida (1,37 metros)” com uma mancha branca na cabeça que parecia uma coroa – daí seu nome. Diz a lenda que você pode espantar um Basilisco com o cheiro de uma doninha.

O basilisco encontrado na Câmara Secreta foi responsável pela morte de Murta Elizabeth Warren (a Murta que Geme) e pela petrificação de Hermione, Colin Creevey, JustinoFinch-Fletchley e Nick-quase-sem-cabeça. Dizem que fugia “apenas do canto do galo, que lhe é fatal”.


O Hipogrifo

Meio cavalo, meio águia-gigante, o Hipogrifo é uma representação do deus Apollo e foi frequentemente representado na arte.

O filosofo francês Descartes usou Hipogrifos como um exemplo crucial em suas Meditações, argumentando que por podermos entender a noção de um meio cavalo e meio águia, nós de alguma forma provamos sua existência. Profundo.


A Fênix

As fênix podem entrar em chamas e então se reerguerem, regeneradas, das cinzas. Elas são uma das criaturas mais duradouras e inspiradoras da mitologia. A história da fênix é tão antiga que já foi contada por todo mundo que é alguém no Hall da Fama mitológico. De Heródoto (historiador grego extremamente inteligente; amigo de Sócrates) até Ovídio (famoso poeta romano) e Plínio, o Velho (sim, ele novamente).

Nas histórias de Harry Potter, o único antidoto conhecido para veneno de Basilisco são lágrimas de fênix; as quais, Hermione nos contou, são "incrivelmente raras". Felizmente, há uma fênix em Hogwarts - Dumbledore tem possivelmente o animal de estimação mais legal da história.



Tradução: Isabel Dain e Gabriel Pimentel.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Recentes

recentposts

Leia também!

randomposts