5.7.16

Curiosidades das adaptações dos filmes de Harry Potter em ''Os Lugares Mágicos - Hogwarts, Beco Diagonal e Além''

Continuando o que vimos no outro post - Curiosidades do universo cinematográfico de HP reveladas em O Livro das Criaturas de Harry Potter -, este é sobre o volume II de Jody Revenson: dedicado aos lugares mágicos. 

O livro ''Os Lugares Mágicos dos Filmes de Harry Potter - Hogwarts, Beco Diagonal e Além'' está disponível na Amazon.com.br. Clique aqui para adquirir o seu exemplar!

E vamos ao que interessa: algumas curiosidades que você encontrará na referida obra; são seletas passagens selecionadas por nós, dentre as mais de duzentas páginas do livro. 

O Mapa de Hogwarts

Na primeira reunião entre J.K. Rowling e o diretor de arte Stuart Craig, a autora da série desenhou para ele uma mapa com o castelo de Hogwarts e seus arredores: Hogsmeade, o lago, o campo de quadribol, a Floresta Proibida e até o Salgueiro Lutador!

O desenho, feito com simplicidade em um pedaço de papel, serviu de guia para Stuart. Ele comentou: ''Estava tudo naquele mapa bem simples. Aquele pedaço de papel era a autoridade máxima e usei-o como referência durante os dez anos de filmagem''. 

O mapa feito à mão por Jo Rowling está presente logo no início do livro. 

Rua dos Alfeneiros, nº 4

Chris Columbus, diretor de A Pedra Filosofal e A Câmara Secreta, é direto ao falar sobre a casa dos Dursley: ''[...] tinha que passar a sensação de ser um lugar mau e horrível''. 

Jo, a autora, disse que imaginava a casa nos subúrbios de Surrey, que se desenvolveram, como muitos bairros após a Segunda Guerra Mundial, em uma estrutura na qual casas de aparência idêntica se repetem por ruas curvas e sem saída.



Em reunião com o diretor de arte Stuart Craig, Chris chegou a dizer que queria um lugar ''[...] que passasse a sensação de que mataria qualquer criatividade ou originalidade que um morador pudesse ter. Era um lugar que não podia ser bonito para o público, mas que dava uma verdadeira sensação de opressão''.

As filmagens começaram em Bracknell, um bairro no oeste de Londres. A partir do segundo filme, foi reproduzido o lugar nos estúdios, para não atrapalhar os moradores (prejudicados, principalmente, nas cenas noturnas). 

A Biblioteca de Hogwarts nas telonas

Em que lugar foi filmada a biblioteca de Hogwarts, no primeiro filme? Em Oxford! Isso mesmo: Na Biblioteca Duke Humfrey, uma das quarenta bibliotecas Bodleian, da Universidade de Oxford. 

A Biblioteca Duke Humfrey é a sala de leitura mais antiga de Oxford e data de meados de 1400. ''Foi uma ousadia filmar na bela Biblioteca Duke Humfrey'', comentou Stuart Craig. ''Até para pedir permissão. As restrições, como você pode imaginar, foram bem complicadas. E houve várias limitações para os ângulos das câmeras, então decidimos construir para os filmes seguintes.''



A Biblioteca Duke Humfrey tem um sistema de acorrentar os livros mais antigos a uma moldura encaixada nas estantes. A técnica foi copiada por Stuart para a versão nos estúdios Leavesden, utilizada para os demais filmes. 

Casa dos Gritos

A icônica Casa dos Gritos, sabia a equipe dos filmes, precisava da própria personalidade. ''Precisava estalar e se mover, como se fosse constantemente maltratada pelo vento'', comenta Stuart Craig. Ele convocou os supervisores de efeitos especiais John Richardson e Steve Hamilton para construir o cenário. 

Primeiro, criaram um modelo em miniatura para determinar o movimento da construção. Depois, um cenário em tamanho real foi feito em uma plataforma hidráulica - ''uma estrutura dentro de uma estrutura''.



''Tinha uma moldura de aço enorme que era empurrada pelo equipamento hidráulico. Em seguida, construímos o cenário para ficar preso na moldura. A porta balança para frente e para trás, as janelas se abrem e se fecham, o tecido da parede meio que sacode... a sala toda literalmente se move'', explicou o diretor de arte. 

Cemitério de Little Hangleton 

O cemitério visto em O Cálice de Fogo acabou sendo um dos maiores cenários da série Harry Potter! A cena devia acontecer no alto de uma pequena colina cheia de lápides e estátuas, um cenário desafiador. Também precisava ser muito velho, o que fez Craig evocar uma atmosfera antiga, em ruínas, e ocupada por vegetação. 

''Essencialmente, tem deterioração e abandono por todo lado. Minha inspiração foi o cemitério Highgate, no norte de Londres, que foi, de certa forma, retomado pela natureza'', comenta o diretor de arte. O cemitério mencionado por ele foi construído em 1839. 

Para o filme, o cenário do cemitério foi feito nos estúdios, de modo que a iluminação sinistra e a névoa artificial pudessem ser controladas.



Gostou?! Não esqueça de deixar o seu comentário abaixo.

2 comentários:

Recentes

recentposts

Leia também!

randomposts