sábado, 13 de fevereiro de 2016

Pottermore: As cores no mundo de Harry Potter

Há muitos segredos ainda desconhecidos pelos fãs no mundo de Harry Potter. Não é novidade para ninguém que J.K. Rowling fez muitas pesquisas para escrever a saga, mas alguns detalhes importantes que ajudaram-na a construir essa história, podem ter passado despercebidos pelos leitores. Diante disso, o Pottermore publicou um texto mostrando a importância da escolha das cores presentes nos livros de Harry Potter. Você confere a seguir a nossa tradução.

________________________________________________________________________________


Pensamentos de J.K. Rowling

Bruxos e bruxas acabam revelando-se uns aos outros em público quando usam combinações de roupas roxas e verdes. Na Grã-Bretanha (e na maior parte da Europa) o roxo é associado à realeza e à religião. Tinturas roxas, de alto custo, eram utilizadas apenas por aqueles que podiam pagar por elas; os anéis dos bispos tinham, tradicionalmente, uma pedra de ametista. A cor verde tem uma ligação com o sobrenatural no Reino Unido. Os supersticiosos dizem que ela deve ser utilizada com cautela; as fadas são supostamente possessivas com a cor, como se fosse de sua propriedade. Ela jamais deve ser utilizada em casamentos, por ser associada à pobreza e à morte. O verde é visto em vários elementos ligados à Magia Negra: a Marca Negra, a poção luminescente na qual Voldemort esconde uma de suas Horcruxes, alguns feitiços e maldições e, é claro, a casa Sonserina. A combinação de roxo e verde, no entanto, mostra os dois lados da magia: o nobre e o desprezível, o útil e o destrutivo.

As quatro casas de Hogwarts associam-se aos quatro elemento e suas cores foram escolhidas de acordo com isso. Grifinória (vermelho e dourado) relaciona-se com o fogo; Sonserina (verde e prata) com a água; Lufa-lufa (amarelo e preto, representando o trigo e o solo) com a Terra e; Corvinal (azul e bronze; céu e penas de águia) com o ar.

Cores como pêssego e salmão são distintamente não-mágicas e portanto, reservadas ao gosto de Tia Petúnia. Por outro lado, o rosa shock é ostentado por Ninfadora Tonks, que tem uma personalidade forte e não teme em afirmar que seu pai era nascido-trouxa.

As cores também tem sua importância no que se refere à Hagrid e Dumbledore, cujos primeiros nomes são Rúbeo (vermelho) e Alvo (branco), respectivamente. A escolha foi uma referência à alquimia, que se fez presente no primeiro livro de Harry Potter, no qual "o vermelho" e "o branco" são elementos essencialmente místicos do processo. O simbolismo das cores nesse contexto tem um significado místico, representando estágios distintos do processo químico (o que muitas pessoas associaram à transformação espiritual). Na medida em que meus dois personagens eram construídos, eu os nomeei de acordo com as cores da alquimia para ressaltar sua natureza oposta, porém complementar: o vermelho representando a paixão (ou emoção); o branco representando a disciplina. Hagrid sendo pé-firme, amoroso e corpulento, o rei da floresta; Dumbledore sendo um teórico espiritual, brilhante, idealizador e um tanto individualista. Ambos, com suas diferenças, tiveram um papel fundamental na construção da figura paternal de Harry em seu novo mundo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Recentes

recentposts

Leia também!

randomposts