sexta-feira, 18 de março de 2016

Os romances (algumas vezes trágicos) entre trouxas e bruxos





Ao longo dos anos, o relacionamento entre trouxas e bruxos tem sido sempre temperamental, para dizer o mínimo. E onde o amor está envolvido, as coisas ficam ainda mais complicadas...

Dentro do mundo mágico, existem algumas famílias que nunca aceitarão trouxas. Contudo, o amor quase sempre encontra um jeito - e como estes casais provam, os efeitos podem ser poderosos...

Dorcas e Bartolomeu

Você acha que teve um péssimo término de relacionamento? Imagine um relacionamento tão desastroso que foi até mesmo criada uma lei para que isto não se acontecesse de novo. Tal foi o triste caso de Dorcas Twelvetrees e Bartolomeu Barebone; uma união tão catastrófica que resultou numa lei promulgada, prevenindo os bruxos, para que estes não interagissem com os não-mágicos por muito, muito, MUITO tempo.


Eileen Prince e Tobias Snape

Nós não sabemos muito sobre a linhagem de Severo Snape, mas o pequeno vislumbre que vimos conta uma sombria e triste história.

Um homem que se auto-intitulou "Príncipe Mestiço" pode estar orgulhoso em ter sangue trouxa em suas veias, mas se ele tem orgulho de seu pai e sua mãe já é outra história.

Em "As Relíquias da Morte", Harry descobre muito sobre a infância de Snape, e a amizade que ele tinha com sua mãe, Lily. Harry também aprendeu que Snape teve uma triste infância, morando numa vilha trouxa abandonada, com dois pais (um bruxo e outro trouxa) que pareciam discutir eternamente.

Quando Lily pergunta ao jovem Snape se o pai dele, o trouxa Tobias, gostava de magia, a resposta de Snape é curta, mas diz muito. "Ele não gosta muito de nada"

Lyall Lupin e Hope Howell

Os pais de Remo Lupin são um bom exemplo de que o romance entre trouxas/bruxos pode dar certo, mas às vezes, algumas situações podem complicar as coisas.


Lyall Lupin e Hope Howell se conheceram quando Lyall salvou Hope de um Bicho-Papão. Bem a cara dos Lupin!

Acontece que esta foi uma excelente forma de quebrar o gelo e resultou em um casamento muito feliz, e, eventualmente, eles tiveram um filho juntos, Remus.

Lyall teve um problema com Fenrir Greyback, durante seu tempo no Ministério da Magia.

Greyback se vingou mordendo Remus, transformando o menino em lobisomem, e deixando-o a uma vida de exclusão.

O casal conhecia o estigma atrelado à condição do filho, então, educaram ele em casa e mudavam de endereço constantemente, para evitar ter que responder a difíceis perguntas. Remus realmente teve que ir para Hogwarts, no final das contas, lugar este onde ele encontrou seus futuros melhores amigos.


Senhor e Senhora Thomas

Dino é um amigo próximo de Harry e Rony, e já foi namorado de Gina, mas nos bastidores, Dino teve uma história sombria, que nem mesmo ele teve conhecimento.

Ele foi criado como trouxa por sua mãe não-mágica, Sra Thomas, e seu segundo marido, numa família de meios-irmãos e irmãs. Mas a história do primeiro marido é excessivamente triste.

Num primeiro rascunho de "A Câmara Secreta", e em notas dadas ao diretor Chris Columbus, J.K. Rowling revelou que enquanto Dino e sua mãe acreditavam que o pai dele havia abandonado ambos, este não fora realmente o caso.

O Senhor Thomas nunca contou a sua família o que ele era, e foi morto por Comensais da Morte quando ele se recusou a se juntar à causa de Voldemort.

Dino e sua mãe não imaginaram que o Senhor Thomas não apenas era um bruxo, mas também um homem corajoso.

Merope Gaunt e Tom Riddle

O relacionamento entre Merope Gaunt e Tom Riddle nos ensinou uma lição muito áspera nos julgamentos e aflições sobre amor e magia.

Nascida numa vida de abuso e pobreza, Merope Gaunt teve o infortúnio de crescer numa família tão firmemente obcecada por sangue-puro, que recorria a casamentos entre parentes próximos para manter a linhagem imaculada. Merope Gaunt cresceu quase incapaz de usar magia, devido ao ciclo constante de crueldade, e ela se apaixonou por um garoto de seu vilarejo - o bonito trouxa, Tom Riddle.

A reação de sei pai e irmão foi volátil, mas ambos foram, mais tarde, aprisionados. Finalmente, livre do que restava de sua vida abusiva, Merope começou a honrar sua magia, mas tristemente depois de uma vida desolada, focou isto num péssimo lugar: ela fez Tom Riddle se apaixonar por ela usando magia.

O romance entre eles chocou o vilarejo, e o casal conduziu uma vida claustrofóbica com Merope vivendo numa infinita, embora alegre, negação, com o pobre Tom preso por seus feitiços.
Eventualmente, Merope engravitou, então a bruxa problemática decidiu fazer um teste, suspender os feitiços, a ver se Tom Riddle a amaria espontaneamente.

Tom Riddle foi instantaneamente repelido e fugiu, deixando Merope sozinha, em desespero. Ela morreu pouco depois de dar à luz a seu filho, Tom Riddle, e o resultado de um menino nascido de circunstâncias tão forçadas nos deu um dos piores bruxos das trevas da História. E pior ainda? O torturante pedido final de Merope: que seu filho se parecesse com o homem que nunca a amaria.


Esse texto foi postado originalmente no Pottermore e traduzido pela equipe do OPD.
Tradução por Clarissa Magalhães.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Recentes

recentposts

Leia também!

randomposts