14.10.17

6 personagens que provavelmente não deveriam ter feito parte da Armada de Dumbledore



Recentemente, o Pottermore publicou um texto sobre os personagens que provavelmente teriam ficado melhor fora d’Armada de Dumbledore. A organização secreta criada por Harry, embora tivesse membros de nobres intenções, alguns definitivamente mais serviram para atrapalhar do que ajudar. Saiba quem são:
_______________________________________________________________________________________________

A Armada de Dumbledore. As lendas, os rebeldes, os... alunos preocupados com os NOMs?

A Armada de Dumbledore foi feita com um propósito e apenas um propósito: aprender Defesa Contra as Artes das Trevas de verdade para se preparar para o retorno de Lorde Voldemort ao poder. Ah, e pra esfregar na cara da Professora Umbridge. Mas principalmente a coisa do Lorde das Trevas.

Embora muitos membros do grupo tenham se juntado aos outros para aprender tudo o que podiam com Harry para lutar contra o velho Voldy e seus Comensais da Morte, outros decidiram participar por motivos... não exatamente nobres. Esses são os membros da Armada de Dumbledore que provavelmente deveriam ter pensado duas vezes antes de escrever seus nomes em um pergaminho enfeitiçado...


Zacarias Smith
Não é nada surpreendente que Fred e Jorge tenham ameaçado usar nesse Lufano resmungão alguns dos melhores produtos da Zonko’s. Desde que ele chegou ao Cabeça de Javali para a primeira reunião do grupo, Zacarias parecia estar unicamente questionando Harry o tempo todo e deixou bem óbvio que tudo o que queria era a saber todas as fofocas quentes sobre o retorno de Voldemort. 

O que fez seu constante ceticismo ser ainda mais irritante foi que, na verdade, ninguém o convidou para estar ali. Hermione confessou que teve que dar a ele os detalhes sobre a primeira reunião porque ele entreouviu a garota falando com Ernesto Macmillan e Ana Abbot a esse respeito. Isso significa que a presença dele é basicamente aquele constrangimento clássico que acontece quando alguém se convida para algo e os outros são muito educados para dizer não...


Miguel Corner (e seu grupinho)
Miguel Corner parecia ser um cara razoável, mas não se pode negar que ele e seus amiguinhos Terencio Boot e  Antônio Goldstein, se juntaram à A.D. porque Miguel estava namorando com a Gina naquela época. Nós podemos pensar em diversos locais mais românticos para passar um tempo com sua namorada que um clube do qual fazem parte três dos irmãos mais velhos dela e no qual vão aprender feitiços para lutar contra o maior vilão do mundo mágico – mas, ei, como for melhor pra você, Mig!


Marieta Edgecombe
Ai, Marieta. Com a mãe trabalhando no Ministério ela com certeza sabia que não devia se meter em algo assim, não?

A amiga de Cho que acabou com um lindo desenho de espinhas na cara depois de trair o grupo não devia nem ter entrado na A.D., pra começar. Ela só realmente se inscreveu depois da insistência de Cho e parecia passar a maior parte de seu tempo encarando Harry. E então ela finalmente traiu o grupo denunciando-os para a Professora Umbridge (e efetivamente terminando o relacionamento de Harry e Cho, então ponto duplo pra Corvinal).


Angelina Johnson
Como disse Ernesto Macmillan, a A.D. era seriamente importante. Mais importante até que os exames dos NOMs, pessoal! Entretanto, embora precisasse aprender tanto quanto possível sobre o eminente perigo mortal que estava se aproximando, Angelina foi a primeira a se preocupar com os treinos de Quadribol.

Angelina, todos nós amamos Quadribol, mas colocar o time da escola a frente de um grupo tão importante e que pode salvar sua vida parece uma atitude um pouquinho cega. 


Dênis Creevey
Como um verdadeiro Grifinório, Denis queria aprender tudo que pudesse com Harry; bom pra ele! Ele também era um pouco deslumbrado – como seu irmão, Colin. Tudo bem também. Harry Potter era O Garoto que Sobreviveu, afinal de contas, então a gente dá um desconto pra ele. Apesar disso, o motivo pelo qual Denis não deveria ter sido um membro do clube de defesa é que, naquele momento, ele era um pequenino aluno do segundo ano.

Por mais que suas intenções fossem nobres, todas as outras pessoas do grupo estavam, no mínimo, no quarto ano, o que significa que estavam prontos para enfrentar coisas sérias. Mas com relação a Defesa Contra as Artes das Trevas Denis ainda devia estar estudando Diabretes da Cornualha naquela época! 

Fora que não tem a menor chance de que ele fosse capaz de fazer algumas das magias que eles estavam aprendendo. Mesmo Harry, que eventualmente tirou um Ótimo em seu N.O.M., só conseguiu conjurar um Patrono em seu terceiro ano. Então, Denis, embora suas intenções fossem puras e verdadeiras, sua presença provavelmente foi um certo estorvo para o resto do grupo. Sinto muito. Talvez eles devessem ter criado uma A.D. Júnior, para os mais novos.


Ernesto Macmillan
Ernesto podia ser um pouco pomposo, mas no geral era um bom amigo do trio de ouro e um dos mais manifestos apoiadores de Harry quando ninguém acreditou na história da volta de Voldemort. Dito isso, o cuidadoso Lufano ainda ficou bastante ansioso por ter que assinar seu nome na lista do grupo. Embora tivesse muito a dizer sobre a importância daquela aventura arriscada, ele parecia falar muito sobre a incompetente professora deles de Defesa Contra as Artes e das provas dos NOMs.

Membros da Armada de Dumbledore formavam um grupo admirável. Mesmo aqueles que se juntaram por razões não tão nobres se mobilizaram coletivamente para criar um símbolo de unidade contra um Ministério corrupto e sua negação da volta de Voldemort. De várias formas, cada aluno do grupo era fundamental para o sucesso da A.D.

Embora alguns tivessem suas dúvidas quando entraram, ou talvez tenham entrado pelos motivos errados, eles continuaram a trabalhar juntos e a se rebelar. Isso é impressionante, especialmente quando você considera que Corvinos e Lufanos, que talvez não sejam tão corajosos como os Grifinórios, ainda continuaram no grupo, mesmo com a certeza de expulsão. E eles ficaram porque acreditavam na importância daquilo. Assim sendo, cada um deles deve ser admirado.

Menos a Marieta. Marieta, como você pôde?

Tradução: Isabel Dain

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Recentes

recentposts

Leia também!

randomposts