sexta-feira, 31 de outubro de 2014

[ATUALIZADO] Leia a biografia de Dolores Umbridge, escrita por J.K. Rowling















O Pottermore lançou os primeiros momentos do quinto livro, Harry Potter e a Ordem da Fênix, e, como prometido, muitas novidades!

Entre elas a biografia de Dolores Umbridge, escrita por J.K. Rowling. Ainda: a história de Azkaban, dos ministros da magia, e sobre o mistério dos testrálios.

Em breve, todo o conteúdo inédito da autora da série estará traduzido aqui no OPD.

Enquanto isso, leia em português, clicando em Mais informações, a biografia da personagem que muitos detestam mais do que Lord Voldemort: Umbridge!

Atualização: Adicionamos os comentários de J.K. Rowling sobre a personagem.

Dolores Jane Umbridge foi a criança mais velha e a única filha de Orford Umbridge, um mago, e Ellen Cracknell, uma trouxa, a qual também teve um filho aborto. Os pais de Dolores estavam num casamento infeliz, e Dolores secretamente desprezava ambos os pais: Orford por causa de sua falta de ambição (Ele nunca foi promovido, e trabalhou no Departamento de manutenção da magia, no Ministério da Magia), e a sua mãe, Ellen, por sua levianidade, desordem, e linhagem trouxa. Ambos, Orford e sua filha, culpavam Ellen pela falta de habilidade em magia do irmão de Dolores, resultando no que ocorreu quando Dolores fez 15 anos: a família se dividiu ao meio. Dolores e Orford permaneceram juntos e Ellen desapareceu no mundo trouxa acompanhada de seu filho aborto. Dolores nunca viu sua mãe ou seu irmão novamente, nunca mais falou deles e, daquele momento em diante, falou para todos que ela se encontrava que ela era uma sangue-puro.

Uma bruxa realizada, Dolores juntou-se ao Ministério da Magia diretamente depois de ter concluído seus estudos em Hogwarts, aceitando o emprego como uma humilde estagiária no Escritório do Controle de Mal uso de Magia. Mesmo aos 17, Dolores já era julgadora, preconceituosa e sádica, embora sua atitude consciente, seu jeito doce para com os seus superiores, e a crueldade e cautela com as quais ela tomou crédito para os trabalhos de outras pessoas, logo ganhou o seu progresso. Antes de completar 20 anos, Dolores foi promovida como chefe do Escritório, e isso foi um pequeno passo de lá para cargos cada vez mais altos na gestão do Departamento de Execução das Leis Mágicas. À essa altura, ela havia convencido o seu pai a se aposentar mais cedo, e, fazendo-lhe um pequeno subsídio financeiro, ela garantiu que ele caísse discretamente fora de vista. Sempre que ela era perguntada (geralmente por colegas de trabalho que não gostavam dela) "Você é parente daquela Umbridge que costumava varrer o chão aqui?", ela iria sorrir seu mais doce sorriso, riria e negaria qualquer ligação, alegando que o seu falecido pai havia sido um distinto membro da Suprema Corte. Coisas desagradáveis costumavam acontecer àqueles que lhe perguntavam sobre Orford, ou qualquer coisa que Dolores não gostasse de conversar sobre, e quem quisesse permanecer em seu lado bom, fingiram acreditar em sua versão sobre sua ascendência.

Apesar de seus esforços para assegurar o afeto de um dos seus superiores (ela nunca se importou em particular sobre qual deles seria, mas sabia que seu próprio status e segurança seriam desenvolvidos com um marido poderoso), Dolores nunca conseguiu se casar. Enquanto eles valorizavam o seu trabalho duro e ambição, aqueles que ficaram a conhecer o seu melhor achavam difícil gostar mesmo dela. Após uma taça de xerez doce, Dolores sempre fora propensa a jorrar visões pouco caridosas, e mesmo aqueles que eram anti-trouxas encontravam-se chocados com algumas sugestões de Dolores, a portas fechadas, do tratamento que as comunidades não-bruxas mereciam receber.

À medida que ela ficava mais velha e severa, e subia mais alto dentro do Ministério, o gosto de Dolores por pequenos acessórios de menina cresceu mais e mais acentuado; o seu escritório tornou-se um lugar de babados e fru-frus, e ela gostava de qualquer coisa adornada com gatos (embora achasse os gatos reais algo inconveniente e bagunceiro). Como o Ministro da Magia, Cornélio Fudge, tornou-se cada vez mais ansioso e paranóico ao pensar que Albus Dumbledore tinha ambições para substituí-lo, Dolores conseguiu agarrar o seu caminho para o coração do poder, alimentando a vaidade e os medos de Fudge e apresentando a si mesma como uma das poucas pessoas em que ele podia confiar.

A nomeação de Dolores como Inquisidora de Hogwarts deu pleno alcance, pela primeira vez em sua vida, para seus preconceitos e sua crueldade. Ela não gostava de seu tempo na escola, onde ela havia sido esquecida por todos os cargos de responsabilidade, e ela adorou a chance de voltar e exercer o poder sobre aqueles que não tinham (como ela o viu) dado-lhe o que deviam fazer.

Dolores tem o que  se corresponde a uma fobia por seres que não são muito, ou totalmente, humanos. Seu desgosto pelo meio-gigante Hagrid, e seu terror por centauros, revelam um medo do desconhecido e selvagem. Ela é uma pessoa extremamente controladora, e todos os que desafiam sua autoridade e visão de mundo devem, em sua opinião, serem punidos. Ela gosta, ativamente, de subjugar e humilhar os outros, e, exceto em suas alianças declaradas, há pouco  o que se escolher entre ela e Bellatrix Lestrange.

O período escolar de Dolores em Hogwarts terminou desastrosamente, porque ela excedeu o mandato que Fudge lhe dera, pisando fora dos limites da sua própria autoridade, levado por meio de um sentido fanático de auto-propósito. Abalada, mas não arrependida depois de um fim catastrófico para sua carreira Hogwarts, ela voltou para um Ministério que tinha sido mergulhado em turbulência, devido ao retorno de Lord Voldemort.

Na mudança de regimes que se seguiram à renúncia forçada de Fudge, Dolores foi capaz de deslizar de volta para sua posição anterior no Ministério. O novo ministro, Rufus Scrimgeour, teve problemas mais imediatos que o pressionavam mais do que Dolores Umbridge. Scrimgeour foi posteriormente punido por esse descuido, porque o fato do Ministério nunca haver punido Dolores para seus muitos abusos de poder, parecia, na visão de Harry Potter, algo que revelava tanto a sua complacência e quanto o seu descuido. Harry considerou o emprego contínuo de Dolores, e a falta de quaisquer repercussões para o seu comportamento em Hogwarts, um sinal de corrupção essencial do Ministério, e se recusou a cooperar com o novo ministro por causa disso (Dolores é a única pessoa, a não ser Lord Voldemort, que deixou uma cicatriz física permanente sobre Harry, tendo forçado o garoto a cortar as palavras "Eu não devo contar mentiras" na parte de trás da sua própria mão durante a detenção).

Dolores foi logo curtindo a vida no Ministério mais do que nunca. Quando o Ministério foi assumido pelo ministro fantoche Pio Thicknesse, e infiltrado por seguidores do Lorde das Trevas, Dolores estava em seu verdadeiro lugar, finalmente. Corretamente julgada por altos Comensais da Morte, por ter muito mais em comum com eles do que ela já teve com Albus Dumbledore, ela não só manteve seu posto, como foi lhe dada autoridade extra, tornando-a chefe da Comissão de Registro trouxa, que estava em vigor um tribunal desonesto que aprisionou todos os nascidos trouxas com base no fato de terem "roubado" suas varinhas e sua magia.

Foi quando ela se sentou no julgamento de outra mulher inocente que Harry Potter finalmente atacou Dolores no coração do Ministério e roubou-lhe a Horcrux ela inconscientemente estava usando.

Com a queda de Lord Voldemort, Dolores Umbridge foi levada a julgamento por sua cooperação entusiasmada com seu regime, e condenada por tortura, prisão e morte de várias pessoas (alguns dos inocentes nascidos trouxas que ela condenou à Azkaban não sobreviveram ao cativeiro).

Comentários de J.K. Rowling

Uma vez, há muito tempo, tomei a instrução em uma determinada habilidade ou assunto (estou sendo vaga tanto quanto vaga eu posso ser, por razões que estão prestes a tornar-se óbvias), e ao fazê-lo, entrei em contato com uma professora ou instrutora de quem eu não gostava intensamente à primeira vista.

A mulher em questão voltou a minha antipatia com juros. Porquê ficamos uma contra a outra tão instantaneamente, de coração e (no meu lado, pelo menos) irracionalmente, eu honestamente não posso dizer. O que fica na minha mente é o seu gosto acentuado por acessórios delicados. Eu particularmente me lembro de uma pequena passadeira, pálida na cor de limão, que ela usava em seu cabelo crespo curto. Eu costumava olhar para aquela pequena passadeira, o que teria sido apropriado para uma menina de três anos, como se fosse algum tipo de negação de seu crescimento físico . Ela era uma mulher bastante encorpada, e não no primeiro ímpeto da juventude, e sua tendência a usar babados onde (eu achei) fru-frus não combinavam, e carregam bolsas minúsculas, mais uma vez como se tivessem sido emprestadas de caixa de fantasias infantis, abalada, senti, por uma personalidade que eu encontrei o inverso do doce, inocente e ingênua.

Estou sempre um pouco cautelosa ao falar sobre esses tipos de fontes de inspiração, pois é irritante ouvir-se mal interpretada de maneiras que podem causar a outras pessoas uma grande quantidade de dor. Esta mulher não era "a verdadeira" Dolores Umbridge. Ela não se parecia com um sapo, ela nunca foi sádica ou cruel para mim ou para qualquer outra pessoa, e eu nunca a ouviu expressar uma visão única em comum com Umbridge (na verdade, eu nunca a conheci bem o suficiente para saber muito sobre suas opiniões ou preferências, o que torna a minha antipatia por ela ainda menos justificável). No entanto, é verdade que eu peguei emprestado, então grosseiramente exagerado, o seu gosto pelo o adocicado e de menina no vestido, e foi essa minúscula passadeira pálida e cor de limão que eu estava lembrando de quando eu coloquei o adereço parecido com uma mosca na cabeça da Umbridge

Tenho notado, mais de uma vez na vida, que o gosto pelo inefável fru-fru pode ir mão-na-mão com uma perspectiva distintamente sem caridade no mundo. Uma vez, eu dividia um escritório com uma mulher que tinha coberto o espaço da parede atrás da mesa com fotos de gatinhos fofos; ela era a mais fanática campeã, apreciadora da pena de morte, com a qual sempre foi meu infortúnio compartilhar uma chaleira. Um amor de todas as coisas doces parece muitas vezes presente onde há uma falta de calor real ou caridade.

Então Dolores, que é uma das personagens por quem eu sinto a mais pura antipatia, tornou-se um amálgama de características tomadas a partir destas pessoas, e uma variedade de fontes. Seu desejo de controle, para punir e para causar dor, tudo em nome da lei e da ordem, é, penso eu, tão condenável quanto a adoção da maldade nua e crua de Lorde Voldemort.


Os nomes de Umbridge foram cuidadosamente escolhidos. "Dolores" significa tristeza, algo que, sem dúvida, ocorre ao seu redor. "Umbridge" é um trocadilho com "ressentimento" a partir da expressão inglesa "to take umbrage", que significa ofensa. Dolores é ofendida por qualquer desafio à sua limitada visão de mundo; Senti que seu sobrenome transmitiu a mesquinhez e a rigidez de seu caráter. É difícil de explicar "Jane"; nesse eu simplesmente senti que era um pouco presunçoso e puro dentre os outros dois nomes.

Tradução: Clarissa Magalhães.


Recentes

recentposts

Leia também!

randomposts