quarta-feira, 3 de fevereiro de 2016

Pottermore: saiba mais sobre os elementos que constituem a sua varinha!

Se você está aqui, presumimos que já tenha feito o teste das varinhas do Pottermore. Se não, você pode fazê-lo aqui e retornar depois. Como já sabemos, é a varinha que escolhe o bruxo e nada podemos fazer a respeito. Sabendo os elementos que constituem a sua, você pode encontrar nesse post uma explicação - feita pelo correspondente do Pottermore e traduzida por nós - sobre cada um desses elementos, que revelam sua personalidade enquanto bruxo.


Tipos de madeira



As seguintes descrições dos poderes e propriedades de diversas madeiras de varinha foram retiradas de anotações feitas, durante sua longa carreira, pelo Sr. Garrick Olivaras, considerado o melhor artesão de varinhas do mundo. Como será visto a seguir, ele acredita que madeiras de varinha possuem poderes quase humanos de percepção e preferência.

O Sr. Olivaras introduz suas anotações sobre madeiras de varinha da seguinte forma:


Cada varinha é única e depende de sua característica da árvore e criatura mágica específicas, das quais derivam seus materiais. Além disso, cada varinha, desde o momento que esta encontra seu dono ideal, começará a a aprender e ensinar ao seu parceiro humano. Portanto, o seguinte deverá ser visto como anotações comuns em cada tipo de madeira que eu mais gosto de trabalhar, e não deveria ser pego para descrever qualquer varinha individualmente. 
Apenas uma minoria das árvores pode mostrar uma qualidade de madeira para varinhas (apenas uma minoria capaz de gerar magia dos humanos). Isso leva anos de experiência para distinguir quais têm o dom mágico, embora o trabalho seja mais fácil se Bowtrcukles fossem encontrados aninhadas em folhas, já que nunca habitaram árvores terrestres. As seguintes notas sobre as variadas varinhas devem ser consideradas muito mais um ponto de partida, por tratar-se de um estudo da vida, e eu continuo aprendendo com cada varinha que produzo e combino.

Acacia (Acácia)

Um material bem incomum, que, de acordo com minhas descobertas, é capaz de criar varinhas trapaceiras que podem se recusar a produzir magia nas mãos de alguém que não seu próprio dono, além de reservar seus melhores efeitos para os bruxos mais talentosos. Essa sensibilidade faz dela uma varinha difícil de se utilizar e por isso mantenho apenas um pequeno estoque, destinado àqueles bruxos e bruxas suficientemente sutis, já que a Acácia não é adequada para aquilo que conhecemos como magia exibicionista. Quando bem combinada, uma varinha de Acácia mostra todo o seu poder, embora ela seja por muitas vezes subestimada, graças à peculiaridade de seu temperamento.




Alder (Amieiro)

Amieiro é um tipo de madeira inflexível, embora eu tenha descoberto que seu dono ideal não pode ser teimoso ou obstinado, mas sim gentil, atencioso e simpático. Embora muitos tipos de madeira de varinha tenham relação com a personalidade de seu dono, o Amieiro é atípico na medida em que procura uma natureza que é, se não precisamente oposta de sua própria, muito diferente em vários aspectos. Quando uma varinha de Amieiro é colocada nas mãos certas, ela torna-se uma companheira magnífica e extremamente leal. De todos os tipos de varinha, o Amieiro é mais eficiente com feitiços não-verbais, o que faz com que ele seja mais adequado aos bruxos e bruxas experientes.



Apple (Macieira)

As varinhas de Macieira não são feitas em grande número. Elas são poderosas e funcionam melhor com pessoas ambiciosas, uma vez que esse tipo de madeira não se mistura muito bem com magia negra. É dito que o proprietário de uma varinha de Macieira será muito amado e viverá por muito tempo e eu tenho notado que os clientes mais vaidosos se encaixam perfeitamente com ela. Uma habilidade incomum de conversar com outros seres mágicos em suas respectivas línguas é encontrada nos proprietários desse tipo de varinha, incluindo o célebre autor de Sereianos: Um Guia Completo de sua Língua e Costumes, Dylan Marwood. 



Ash (Freixo)

A varinha de Freixo é extremamente leal ao seu único mestre e não deve ser passada a frente por seu dono original, porque ela perde seu poder e suas habilidades. Essa tendência é extrema se seu núcleo for de Unicórnio. Superstições antigas sobre as varinhas raramente podem ser comprovadas com um exame detalhado, mas eu descobri que a velha rima sobre varinhas de sorveira, castanheira, freixo e aveleira (sorveira fofoca, castanheira zumbe, freixo é teimosa e aveleira lamenta-se) faz algum sentido. Esses bruxos e bruxas que se encaixam com a varinha de Freixo não são, de acordo com a minha experiência, obrigados a deixar de lado seus objetivos ou crenças. No entanto, o impetuoso ou muito confiante bruxo ou bruxa, que insiste em utilizar uma varinha de madeira prestigiada como essa, pode ficar desapontado com seus efeitos. O proprietário ideal talvez seja teimoso e certamente corajoso, mas nunca estúpido ou arrogante.


Aspen (Álamo)

Álamo, um tipo de madeira de qualidade, branca e refinada e muito valorizada por todos os fabricantes de varinha por seus estilo que remete ao marfim e seu charme incomparável. O proprietário da varinha de Álamo é geralmente um duelista de primeira, ou é destinado ser, já que esse tipo de varinha é frequentemente utilizado na magia marcial. Um infame e secreto clube de duelos do século XVIII, que chamava-se "The Silver Spears", tinha a reputação de admitir apenas aqueles que possuíam varinhas de Álamo. De acordo com minha experiência, os donos desse tipo de varinha são, em sua maioria, fortes de espírito e determinados, além de propensos a serem atraídos por missões; essa é uma varinha para revolucionários.



Beech (Faia)

A verdadeira combinação para uma varinha de Faia seria, se jovem, alguém muito sábio para sua idade e, se mais velho, alguém muito compreensivo e experiente. As varinhas de Faia não funcionam bem com pessoas mesquinhas e intolerantes. Tanto bruxos como bruxas que tiveram uma varinha desse material mas que não obtiveram sucesso com ela (ou ainda tenham a cobiçado, visto que é bem valorizada), vinham com frequência à casa de fabricantes de varinha como eu, querendo saber o porquê dessa falta de poder. Já quando combinadas com as pessoas certas, as varinhas de Faia são capazes de produzir feitiços raros e sutis jamais vistos em qualquer outro tipo de material, daí a sua reputação brilhante.



Blackthorn (Espinheiro-negro)

O Espinheiro-Negro, que é uma varinha muito incomum, tem a reputação - na minha opinião, merecida - de adequar-se melhor a um guerreiro. Isso não significa necessariamente que seu dono pratica as Artes das Trevas (apesar de que é inegável que aqueles que utilizam-na vão adorar o poder que a varinha poderá lhes conferir): encontram-se varinhas desse tipo tanto entre Aurores, quanto entre os habitantes de Azkaban. É uma característica curiosa que o arbusto de Espinheiro-Negro, que ostenta espinhos perversos, produza as mais doces frutas mesmo após geadas duras e as varinhas feitas desse material parecem precisar passar por algum perigo ou dificuldade para conectar-se de fato ao seu proprietário. Dada essa condição, essa varinha se tornará tão leal e fiel quanto espera-se de um servo.



Black Walnut (Nogueira-negra)

Não tão comum quanto a varinha de Nogueira padrão, a de Nogueira-negra procura um dono dotado de bons instintos e forte de espírito. A Nogueira-negra é uma madeira muito bonita, mas dominá-la não é uma tarefa nada fácil. Ela tem uma peculiaridade em especial, que é anormalmente propensa a arranjar confusões e perde seu poder dramaticamente se seu proprietário tentar se auto-enganar de alguma maneira. Se o bruxo ou bruxa é incapaz de ser honesto consigo mesmo ou com os outros, a varinha geralmente não funciona de maneira adequada e deve ser dada a outro usuário cuja personalidade seja adequada, para que ela readquira seu poder. No entanto, quando combinada com um proprietário sincero e dotado de auto-conhecimento, ela torna-se a mais leal e impressionante varinha de todas, com um toque especial de charme.



Cedar (Cedro)

Sempre que encontro alguém que tem uma varinha de Cedro, vejo força de caráter e uma lealdade incomum. Meu pai, Gervaise Ollivander, costumava dizer "você nunca vai enganar um dono cuja varinha é de Cedro," e eu concordo: esse tipo de varinha encontra-se onde há perspicácia e percepção. Eu iria além do que meu pai disse, no entanto, dizendo que eu nunca conheci algum proprietário de varinha de Cedro com quem eu ousaria cruzar, especialmente se algum mal é feito para aqueles que eles amam. O bruxo ou bruxa que combina com esse tipo de varinha tem o potencial de ser um adversário perigoso, o que muitas vezes é um choque para aqueles que desafiam-no sem pensar.



Cherry (Cerejeira)

Esse material muito raro confere um poder estranho para a varinha, sendo ela muito valorizada pelos estudante da escola de Mahoutokoro, no Japão, onde aqueles que possuem uma varinha de Cerejeira tem um prestígio especial. Os compradores de varinhas Ocidentais devem tirar da cabeça a ideia de que a flor da árvore é feita para uma varinha meramente ornamental, pois essa varinha possui um poder letal, seja qual for o núcleo. Quando combinada com fibra de coração de dragão, a varinha nunca pode ficar nas mãos de um bruxo que não tenha excepcional controle sobre suas ações além de uma mente muito bem estruturada.



Chestnut (Castanheira)

Essa é a madeira mais curiosa e multi-facetada; ela varia muito em seu caráter, dependendo do núcleo, e pega uma grande parte das nuances da personalidade de quem a possui. A varinha de castanheira se atrai por bruxos e bruxas que são habilidosos em domar criaturas mágicas, por aqueles que possuem grande aptidão em Herbologia e os que são voadores natos. Entretanto, quando combinada com fibra do coração de dragão, ela pode adaptar-se melhor àqueles que são extremamente apegados à luxúria e coisas materiais e menos escrupulosos do que deveriam ser sobre como adquiriram essas coisas. Contrariamente, três diretores consecutivos da Suprema Corte dos Bruxos possuíram varinhas de castanheira com núcleo de unicórnio, porque essa combinação mostra uma predileção por aqueles preocupados com todas as formas de justiça.



Cypress (Cipestre)

Varinhas de cipestre são associadas à nobreza. O grande fabricante medieval de varinhas, Geirant Olivaras, escreveu que sempre ficava honrado em combinar uma varinha de cipestre com alguém, já que ele sabia que estava encontrando uma bruxa ou bruxo que teria uma morte heroica. Felizmente, nestes tempos menos sedentos de sangue, os possuidores de varinhas de cipestre raramente são solicitados para sacrificar suas vidas, apesar de que, sem dúvidas, muitos deles fariam isso se necessário. Varinhas de cipestre encontram sua alma gêmea entre os bravos, corajosos e os que se sacrificam: aqueles que não têm medo confrontar as sombras de sua própria natureza ou de outros.



Dogwood (Corniso)

Corniso é pessoalmente uma das minhas favoritas, e eu descobri que combinar uma varinha de corniso com seu dono ideal é sempre interessante. Varinhas de corniso são excêntricas e travessas; elas possuem uma natureza brincalhona e insistem em parceiros que podem prover a elas uma variedade de animação e diversão. Seria bem errado, no entanto, deduzir a partir disso que varinhas de corniso não são capazes de realizar magia séria quando invocadas para isso; elas tem sido conhecidas por realizar feitiços extraordinários sob circunstâncias difíceis, e quando combinadas com uma bruxa ou bruxo adequadamente inteligente e engenhoso, podem produzir encantamentos deslumbrantes. Um interessante ponto fraco de muitas varinhas de corniso é que elas se recusam a realizar feitiços não-verbais e são frequentemente bem barulhentas.



Ebony (Ébano)

Essa varinha de madeira extremamente negra possui aparência e reputação impressionantes, sendo altamente recomendada para duelos e para Transfiguração. Ébano é mais feliz nas mãos daqueles com a coragem para serem eles mesmos. Frequentemente não-conformistas, altamente individuais ou confortáveis com o status de "estranhos", os donos de uma varinha de ébano foram encontrados tanto nos escalões da Ordem Da Fênix quanto nos dos Comensais da Morte. Na minha experiência, a combinação perfeita para a varinha de ébano é alguém que irá se agarrar firme em suas crenças, não importa a pressão externa, e que não será desviado nem ligeiramente de seus propósitos.



Elder (Sabugueiro)

A madeira de varinha mais rara de todas, e com uma reputação de ser profundamente azarenta, a varinha de sabugueiro é mais complicada de ser dominar do que qualquer outra. Ela contém magia poderosa, mas se recusa a continuar com qualquer dono que não seja o superior em seu grupo de pessoas; é necessário um bruxo extraordinário para manter uma varinha de sabugueiro por um longo período de tempo. A velha superstição de 'varinha de sabugueiro nunca prospera', tem como base o medo da própria varinha, mas, na verdade, a superstição não tem fundamento, e os tolos fabricantes de varinhas que se recusam a trabalhar com sabugueiro o fazem mais porque duvidam que serão capazes de vender seu produto do que pelo medo de trabalhar com ela. A verdade é que apenas uma pessoa incomum irá combinar-se perfeitamente com o sabugueiro, e na rara ocasião dessa combinação ocorrer, eu tenho certeza de que a bruxa ou bruxo em questão terá um destino especial. Um fato adicional que eu descobri durantes meus longos anos de estudo é que os donos de varinhas de sabugueiro quase sempre sentem uma afinidade poderosa com aqueles escolhidos pela sorveira-brava (rowan).



Elm (Olmo)

A crença infundada de que apenas puros-sangue podem produzir magia a partir de varinhas de olmo foi sem dúvidas iniciado pelo dono de uma varinha de olmo procurando provar as credenciais de seu sangue, isso porque eu conheço combinações perfeitas de varinhas de olmo com nascidos trouxas. A verdade é que as varinhas de olmo preferem donos com presença, destreza mágica e uma certa dignidade natural. De todas as madeiras de varinhas, olmo, na minha experiência, é a que produz menos acidentes, o menor número de erros tolos e os encantamentos e feitiços mais elegantes; essas são varinhas sofisticadas, capazes de magia altamente avançada nas mãos certas (o que, novamente, a faz muito desejada por aqueles que adotaram a filosofia de puro-sangue).



English Oak (Carvalho-roble)

Uma varinha para os tempos bons e ruins, ela é uma companheira tão leal quanto o bruxo que a merece. Varinhas de carvalho-roble demandam parceiros fortes, corajosos e fieis. Menos conhecida, é uma tendência dos donos das varinhas de carvalho-roble ter uma poderosa intuição, e, frequentemente, uma afinidade com a magia do mundo natural, com as criaturas e plantas utilizadas pelos bruxos, tanto para magia quanto para o prazer. A árvore de carvalho é chamada de Rainha da Floresta do solstício de inverno até o de verão, e sua madeira deve apenas ser coletada durante esse período (azevinho se torna o Rei quando os dias começam a encurtar novamente, e então sua madeira deve ser apenas coletada quando o ano vai acabando. Acredita-se que essa divisão seja a origem da velha superstição "quando a varinha dele é de carvalho e a dela é de azevinho, então se casar seria loucura", uma superstição que eu acho infundada). É dito que a varinha de Merlin era de carvalho-roble (apesar de seu túmulo nunca ter sido encontrado, então isso não pode ser provado).



Fir (Abeto)

Meu respeitável avô, Gerbold Octavius Olivaras, sempre chamava varinhas dessa madeira de "a varinha do sobrevivente", porque ele tinha vendido ela para três bruxos que posteriormente passaram ilesos por um perigo mortal. Não há duvidas de que essa madeira, vindo da mais elástica das árvores, produz varinhas que demandam resistência e força de vontade de seus verdadeiros donos, e que elas são ferramentas pobres nas mãos dos inconstantes e indecisos. Varinhas de abeto são particularmente adequadas para Transfiguração, e favorecem donos focados, com mente forte e, ocasionalmente, de comportamento intimidador.



Hawthorn (Espinheiro)

O fabricante de varinhas Gregorovitch escreveu que espinheiro "faz uma varinha estranha e contraditória, tão cheia de paradoxos como a árvore que lhe gerou, cujas folhas e flores curam, mas cujos galhos cortados cheiram à morte." Enquanto eu discordo de muitas das conclusões de Gregorovitch, nós concordamos sobre varinhas de espinheiro, que são complexas e intrigantes em sua natureza, assim como os donos que melhor se adaptam a elas. Varinhas de espinheiro podem ser particularmente apropriadas para magia curandeira, mas elas também são adeptas às maldições, e eu observei que, no geral, a varinha de espinheiro parece mais confortável inserida em uma natureza em conflito, ou com uma bruxa ou bruxo passando por um período de perturbação. Espinheiro não é fácil de dominar, no entanto, e eu apenas consideraria dar uma varinha de espinheiro nas mãos de uma bruxa ou bruxo de comprovado talento, ou as consequências poderiam ser perigosas. Varinhas de espinheiro têm uma peculiaridade notável: seus feitiços podem, quando mal manuseada, sair pela culatra.



Hazel (Aveleira)

Uma varinha sensível, as de aveleira frequentemente refletem o estado emocional de seu dono, e funcionam melhor para um mestre que entende e consegue administrar seus próprios sentimentos. Outros devem ser bem cuidadosos ao lidar com uma varinha de aveleira se o seu dono recentemente ficou muito irritado ou sofreu uma decepção séria, porque a varinha irá absorver essa energia e liberar de forma imprevisível. Entretanto, os aspectos positivos de uma varinha de aveleira mais do que compensam eventuais desconfortos, isso porque ela é capaz de realizar magia extraordinária nas mãos de alguém habilidoso, e é tão devota ao seu dono que frequentemente "murcha" (o que significa dizer que ela expele toda sua magia e se recusa a funcionar, comumente necessitando extrair o seu núcleo para ser inserido em outro revestimento se a varinha ainda for necessária) no fim da vida de seu mestre (entretanto, se o núcleo é de pelo de unicórnio, não há esperança; a varinha irá quase que certamente ter "morrido"). Varinhas de aveleira também possuem a habilidade única de detectar água no subsolo, e irão emitir baforadas de fumaça prateada em forma de lágrimas se passarem por nascentes escondidas e poços.



Holly (Azevinho)

Azevinho é um dos mais raros tipos de madeira para varinha. Tradicionalmente considerado protetor, funciona melhor para aqueles que talvez precisem de ajuda para superar uma tendência a raiva e a impetuosidade. Ao mesmo tempo, varinhas de azevinho costumam escolher donos que estão frequentemente envolvidos em situações perigosas ou buscas espirituais. A varinha feita de azevinho é uma das que varia mais dramaticamente em sua performance dependendo do núcleo, e é uma madeira notoriamente difícil de juntar com pena de Fênix, já que a volatilidade da madeira confita de maneira estranha com a indiferença da Fênix. Entretanto, no caso incomum de tal par encontrar sua combinação ideal e funcionar, nada e nem ninguém deve ficar em seu caminho.




Hornbeam (Álamo-branco)

Minha própria varinha é feita de álamo-branco e é com toda a modéstia que eu declaro que o álamo-branco seleciona como parceiro para a vida os bruxos ou bruxas talentosos com uma única e pura paixão, a qual alguns talvez chamem de obsessão (embora eu previra o termo "visão"), que quase sempre se realizará. Varinhas de álamo-branco se adaptam mais rapidamente que quase qualquer outra ao estilo de magia de seu dono e se tornam tão personalizadas tão rapidamente, que outras pessoas acharão extremamente difícil conjurar até mesmo os mais simples feitiços com ela. Varinhas e álamo-branco absorvem o código de honra de seu dono, seja ele qual for e se recusa a realizar atos - para o bem ou para o mal - que não se encaixem nos princípios de seu mestre. Uma varinha particularmente sintonizada a quem a usa e consciente.



Larch (Lariço)

Forte, durável e de cor quente, lariço tem sido considerada há tempos como uma poderosa e atrativa madeira para varinha. Sua reputação de instigar coragem e confiança no usuário tem assegurado que sua demanda sempre ultrapasse a quantidade em estoque. Essa varinha muito procurada é, entretanto, difícil de agradar em questão de donos ideais, e mais complicada de lidar que muitos imaginam. Eu acho que essa madeira sempre cria varinhas de talentos ocultos e efeitos inesperados, que é o que descreve o mestre que a possui. É comum o caso de o bruxo ou bruxa que pertence à varinha de lariço nunca se dar conta da extensão total de seus talentos consideráveis até ser escolhido por essa varinha. Mas então, juntos, os dois farão uma combinação excepcional.



Laurel (Louro)

É dito que a varinha de louro não pode realizar um ato desonroso, embora na jornada pela glória (um objetivo não incomum para aqueles que são escolhidos por essas varinhas), eu soube de varinhas de louro que realizaram feitiços poderosos e, às vezes, letais. As varinhas de louro são algumas vezes chamadas de volúveis, mas isso não é justo. Elas parecem incapazes de tolerar proprietários preguiçosos e, caso isso ocorra, acabam sendo fácil e voluntariamente vencidas, escolhendo outro dono. Caso contrário, é uma varinha que se apega facilmente e para sempre ao primeiro dono escolhido, e, de fato, tem um atributo incomum e atraente que faz com que ela lance um raio de luz espontâneo se outro bruxo ou bruxa tentar roubá-la.



Maple (Carvalho Silvestre)

Eu frequentemente percebo que aqueles que são escolhidos por uma varinha de carvalho silvestre são, por natureza, viajantes e exploradores. Não são varinhas para ficar em casa e preferem ambição em seus bruxos e bruxas, se não sua magia fica pesada e sem brilho. Novos desafios e mudanças regulares de cenário fazem essa varinha literalmente brilhar, polindo-se enquanto cresce, junto com seu parceiro, em habilidade e status. Essa é uma bonita e desejável madeira e a varinha de carvalho silvestre de qualidade tem estado entre as mais caras por séculos. Possuir uma dessas tem sido por muito tempo uma marca de status, devido a sua reputação de varinha de grandes realizadores.




Pear (Pereira)

Essa madeira de tom dourado produz varinhas de poderes mágicos esplêndidos, as quais dão o melhor de si nas mãos dos de coração puro, dos generosos e dos sábios. Donos de varinha de pereira são, na minha experiência, normalmente populares e bem respeitados. Não sei de um caso sequer de uma varinha de pereira descoberta nas mãos de um bruxo ou bruxa das trevas. Varinhas de pereira estão entre as mais resilientes, e eu frequentemente observei que elas podem ainda apresentar uma marcante aparência de novas, mesmo depois de muitos anos de uso intenso.




Pine (Pinheiro)

A varinha reta e granulada de pinheiro sempre escolhe um mestre independente e individualista que pode ser visto como solitário, intrigante e talvez, misterioso. Varinhas de pinheiro gostam de ser usadas criativamente e, ao contrário de algumas outras, se adaptam sem protestos a novos métodos e feitiços. Muitos fabricantes de varinhas insistem que varinhas de pinheiro são capazes de detectar e ter uma melhor performance com donos que estão destinados a longas vidas, e eu confirmo isso, já que nunca conheci pessoalmente um mestre de varinha de pinheiro que tenha morrido jovem. A varinha de pinheiro é uma das mais sensíveis à magia não-verbal.



Poplar (Álamo)

"Se você busca integridade, procure primeiro entre os álamos", era uma grande máxima do meu avô, Gerbold Olivaras, e minha própria experiência com varinhas de álamo e seus donos se encaixa exatamente com a dele. Aqui está uma varinha que se pode confiar, de consistência, força e poder uniforme, sempre mais feliz em trabalhar com um bruxo ou bruxa de visão moral clara. Existe uma velha piada envolvendo pequenos fabricantes de varinhas que diz que nenhuma varinha de álamo jamais escolheu um político, mas aqui eles mostram sua lamentável ignorância: dois dos ministros mais talentosos do Ministério da Magia, Eldritch Diggory e Evangeline Orpington, eram donos de ótimas varinhas de álamo feitas pelos Olivaras.



Red Oak (Carvalho Vermelho)

Você frequentemente ouvirá os ignorantes dizerem que carvalho vermelho é um sinal infalível de que o dono é temperamental. Na verdade, a combinação perfeita para uma varinha de carvalho vermelho é um dono de incomuns reações rápidas, tornando-a uma varinha perfeita para duelos. Menos comum que o Carvalho Inglês, eu acredito que seu mestre ideal seja veloz no tato, tenha capacidade de raciocínio rápido e seja adaptável, frequentemente um criador de distintos feitiços com marcas únicas e um bom homem ou mulher para se ter ao lado em uma briga. Varinhas de carvalho vermelho são, na minha opinião, uma das mais belas.



Redwood (Pau-Brasil)

Varinhas de pau-brasil de qualidade estão em falta. Ainda assim, a demanda é constante, devido a sua reputação de trazer boa sorte a seus donos. Como geralmente é o caso no estuda das varinhas, o público geral vê a verdade ao avesso: varinhas de pau-brasil não são sortudas, mas são fortemente atraídas por bruxos e bruxas que já possuem a admirável habilidade de saírem bem-sucedidos de situações complicadas, de fazer a escolha certa, de tirar vantagem de catástrofes. A combinação desses bruxos ou bruxas com varinhas de pau-brasil é sempre intrigante e eu geralmente espero ouvir grandes feitos quando envio essa combinação especial para fora da minha loja.



Rowan (Sorveira)

A madeira de sorveira tem sido sempre muito favorável para varinhas, porque tem reputação de ser mais protetora que qualquer outra e, na minha experiência, executa todo tipo de feitiço de defesa de forma especialmente forte e difícil de quebrar. É comumente citado que nenhum bruxo ou bruxa das trevas jamais teve uma varinha de sorveira e eu não consigo recordar uma única vez em que uma das minhas próprias varinhas de sorveira tenha ido para o mal no mundo. Sorveira é melhor colocada com os mente aberta e coração puro, mas essa reputação de virtude não deve enganar ninguém - essas varinhas são equivalente a qualquer outra, geralmente as melhores, e frequentemente superam outras em duelo.



Silver Lime (Tilia)

Esse tipo de madeira incomum e altamente atrativo estava na moda no século dezenove. A demanda superou em muito a oferta e fabricantes de varinha inescrupulosos tingiram madeiras inferiores, na intenção de enganar compradores que acreditavam estar comprando tilia. As razões para a desejabilidade dessas varinhas englobam não somente sua aparência bela e incomum, mas também sua reputação perante videntes e legilimentes, uma vez que elas funcionam muito bem com pessoas que possuem essas habilidades misteriosas, que conferem um status considerável ao dono desse tipo de varinha. Quando a demanda estava em seu auge, o fabricante de varinhas Arturo Cephalopos reivindicou que associar a varinha de tilia à clarividência era "uma farsa circulada por comerciantes como Gerbold Olivaras (meu próprio avô), que haviam saturado seu estoque da loja com tilia e esperavam trocar seu excedente". Mas Cephalopos era desleixado e ignorante e ninguém, vidente ou não, ficou surpreso quando ele saiu dos negócios.



Spruce (Abeto)

Fabricantes de varinha inabilidosos dizem que o abeto é uma madeira difícil de lidar mas, ao fazer isso, revelam sua própria tolice. É bem verdade que para se trabalhar com o abeto, se faz necessária uma habilidade particular, pois esse tipo de madeira produz varinhas que não são adequadas à pessoas impacientes ou ansiosas por natureza e se tornam potencialmente perigosas em mãos erradas. A varinha de abeto requer uma mão firme, porque costuma tomar decisões em relação à qual feitiço deve ser realizado. Entretanto, quando esse tipo de varinha encontra seu dono ideal - que, de acordo com a minha experiência, deve ser um bruxo corajoso e muito bem humorado - ela se torna uma ajudante magnífica, imensamente leal e capaz de produzir efeitos consideráveis e particularmente extravagantes.




Sycamore (Sicômoro)

O sicômoro faz um estilo de varinha intrigante, ansiosa por novas experiências e que perde o brilho quando engajada em atividades mundanas. É uma peculiaridade dessa varinha entrar em combustão se deixada no "tédio" e muitos bruxos e bruxas, quando entram na meia idade, ficam desconcertados ao encontrá-la se desfazendo em chamas em suas mãos, enquanto pedem novamente a ela que ajeite seus travesseiros. Como deve ter sido deduzido, o dono ideal da varinha de sicômoro é curioso, aventureiro e cheio de vida e quando unida a tal mestre, ela demonstra uma capacidade de aprendizado e adaptação que lhe confere um legítimo lugar entre as madeiras mais caras do mundo.



Vine (Videira)

Os druidas consideravam qualquer coisa que se assemelhasse à madeira como árvore e varinhas de videira tem uma natureza tão especial que eu fiquei feliz em levar essa antiga tradição à frente. Varinhas de videira estão entre os tipos menos comuns e fico intrigado ao notar que seus donos são quase sempre bruxos e bruxas ambiciosos, que têm uma visão incomum e que frequentemente surpreendem aqueles que pensam que os conhecem. Esse tipo de varinha parece se atrair fortemente por pessoas de personalidade obscura e eu considero-nas mais sensíveis que qualquer outra quando se trata de detectar instantaneamente um possível dono. Fontes confiáveis afirmam que essas varinhas podem produzir efeitos mágicos diante da mera entrada de um provável dono em sua sala e eu observei duas vezes o fenômeno em minha própria loja.



Walnut (Nogueira)

A varinha de nogueira é comumente oferecida, em primeira mão, à bruxos e bruxas de extrema inteligência, pois em nove de cada dez casos, o bruxo e a varinha se completam e fazem uma combinação ideal. Esse tipo de varinha é geralmente encontrado nas mãos de mágicos inventores e inovadores. A nogueira é uma madeira linda, dotada de uma versatilidade incomum. Uma nota de aviso, entretanto: embora alguns tipos de madeira de varinha sejam difíceis de lidar e por vezes resistam a realizar feitiços que não compactuam com sua natureza, a varinha de nogueira vai, uma vez subjugada, realizar qualquer tarefa que seu dono desejar, desde que este saiba como dominá-la. Isso torna-a uma arma letal nas mãos de um bruxo(a) inexperiente, já que a varinha e o bruxo podem sugar as energias um do outro de uma maneira nem um pouco saudável.




Willow (Salgueiro)

O salgueiro é uma madeira incomum que possui o poder da cura e ao longo dos anos, notei que o dono ideal para esse tipo de varinha é um tanto quanto inseguro, por mais que tente esconder esse sentimento. Enquanto muitos compradores confiantes insistem em testar uma varinha de salgueiro (atraídos por sua bela aparência e sua legítima reputação de realizar magia não-verbal avançada), minhas varinhas têm selecionado proprietários de grande potencial, ao invés dos que acreditam ter pouco a aprender. Há um provérbio antigo em minha família que diz "aquele que tem grandes ambições, poderá alcançá-las mais rapidamente se tiver em mãos uma varinha de salgueiro."



Yew (Teixo)

Varinhas de teixo estão entre os tipos mais raros e suas combinações ideais são por muitas vezes incomuns e ocasionalmente notórias. A varinha de teixo é conhecida por dar ao seu dono o poder da vida e da morte o que pode, obviamente, ser dito de todas as varinhas e é dotada também de uma reputação temerosa no que se refere à duelos e maldições. Entretanto, não é correto dizer (como os que não entendem de varinhas costumam fazer) que aqueles que possuem esse tipo de varinha são mais suscetíveis a serem atraídos para as Artes das Trevas. O bruxo(a) com o qual a varinha tem maior aptidão pode mostrar-se um protetor/defensor de seus iguais. Varinhas feitas dessas árvores mais antigas foram encontradas tanto na posse de heróis quanto na de vilões. Onde um bruxo é sepultado com uma varinha de teixo, esta geralmente faz brotar uma árvore guardiã para proteger o túmulo de seu mestre. O que é certo, de acordo com minha experiência, é que a varinha de teixo jamais escolheria um proprietário tímido ou inexperiente.




Tipos de núcleo

A descrição do poder e das propriedades dos três principais núcleos de varinhas utilizados pelo Sr. Olivaras foram retiradas de suas próprias anotações.


No início da minha carreira, enquanto eu via meu pai, também fabricante de varinhas, lidando com materiais de segunda mão do núcleo das varinhas como cabelo de Cavalo-do-Lago, decidi que queria descobrir quais eram os núcleos mais refinados e de trabalhar somente com eles quando chegasse a hora de eu assumir os negócios da família. Dito e feito. Após muitos experimentos e muita pesquisa, eu conclui que apenas três substâncias produzem varinhas de qualidade e tenho a honra de imprimir nelas o nome de minha família, Olivaras: pelo  de unicórnio, fibra de coração de dragão e pena de fênix. Cada  um desses ricos e raros materiais tem suas peculiaridades. A seguir, há um pequeno resumo de minhas pesquisas sobre os três núcleos supremos. Os leitores devem ter em mente que as varinhas são compostas por seu tipo de madeira, seu tipo de núcleo e a experiência e a natureza de seu dono; a tendência de um dessas características pode contrabalancear ou compensar a outra; então essa é apenas uma visão geral de um assunto extremamente complexo. 
Unicórnio

O pelo de unicórnio geralmente produz feitiços mais consistentes e não é tão propenso a sofrer flutuações ou bloqueios. Varinhas com núcleo de pelo de unicórnio são as mais difíceis de lidar no que se refere as Artes da Trevas. Esse tipo de varinha é o mais fiel de todos e geralmente formam um elo com seu primeiro dono, independentemente se for um bruxo ou bruxa talentoso(a).
A única desvantagem do núcleo de pelo de unicórnio é que ele não produz varinhas muito poderosas (apesar de que os outros materias que a compõe podem compensar isso) e é propenso à melancolia caso não seja bem utilizado, o que significa que o pelo pode "morrer" e precisar de uma substituição.



Dragão

Como uma regra, a fibra de coração de dragão produz varinhas muito poderosas e capazes de realizar os feitiços mais extravagantes. As varinhas desse tipo tendem a aprender mais rapidamente que as outras. Enquanto podem demonstrar fidelidade a qualquer um, se forem passadas a frente por seu dono, elas costumam criar uma ligação muito forte com seu proprietário atual.
As varinhas de fibra de coração de dragão são mais propensas a serem utilizadas para as Artes das Trevas, mas não o fazem por sua própria vontade. Elas são também, de todos os núcleos, as mais propensas à acidentes além de um pouco instáveis.



Fênix

Esse é o tipo de núcleo mais raro. A pena de fênix é hábil a realizar os feitiços mais incríveis, apesar de demorar mais do que o pelo de unicórnio e a fibra de coração de dragão para revelar seus poderes.  As varinhas desse tipo costumam tomar iniciativas e podem agir por conta própria, uma qualidade que muitos bruxos e bruxas desgostam.
As varinhas de pena de fênix são sempre as mais exigentes no que se refere à escolha de seus proprietários, uma vez que a criatura da qual o material é retirado é a mais independente e rara do mundo. Estas varinhas são difíceis de personalizar e dominar e ganhar sua fidelidade também não é uma tarefa fácil.



Comprimento e Flexibilidade

As explicações a seguir sobre comprimento e flexibilidade de varinhas foram retiradas de anotações sobre o tema feitas pelo Sr. Garrick Olivaras, artesão de varinhas.


Muitos artesãos de varinhas simplesmente compatibilizam o comprimento da varinha e o tamanho da bruxa ou bruxo que vai usá-la, mas essa é uma medida grosseira e fracassa em levar em consideração muitas outras questões importantes. Pela minha experiência, varinhas mais compridas podem ser adequadas a bruxos mais altos, mas elas tendem a ser atraídas por grandes personalidades, e por aqueles com um estilo mais espaçoso e dramático de magia. 
Varinhas mais puras favorecem um estilo mais elegante e refinado de lançar feitiços. Entretanto, nem um único aspecto da composição de uma varinha deveria ser considerado de maneira isolada de todos o outros, e o tipo de madeira, o núcleo e a flexibilidade podem contrabalancear ou amplificar os atributos relacionados ao comprimento da varinha. A maioria das varinhas se encontra na faixa entre 22cm e 36cm. Embora eu tenha vendido varinhas extremamente curtas (com 20cm ou menos) e outras muito compridas (com mais de 38cm), elas são excepcionalmente raras. No segundo caso, uma peculiaridade física exigiu o comprimento excessivo da varinha. 
Entretanto, varinhas anormalmente curtas comunmente escolhem alguém por ter um caráter no qual falta alguma coisa, mais do que por ser fisicamente pequeno (muitas bruxas e bruxos são escolhidos por varinhas mais compridas). A flexibilidade ou rigidez de uma varinha denota o grau de adaptabilidade e disposição para mudar possuído pela dupla varinha/dono – embora, novamente, esse fator não deva ser considerado separado da madeira, núcleo e comprimento da varinha, nem da experiência de vida e estilo de magia do dono. Todos esses fatores se combinam para fazer com que varinha em questão seja única.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Recentes

recentposts

Leia também!

randomposts