sábado, 28 de maio de 2016

Matthew Lewis fala sobre seus novos trabalhos e Alan Rickman


O ator Matthew Lewis, que deu vida ao grifinório Neville Longbottom na saga Harry Potter, está atualmente divulgando seu trabalho no longa “Como eu era antes de você”, que estreia mês que vem nos cinemas mundiais.  O filme conta a história do rico e jovem Will (Sam Claflin), que após sofrer um acidente, torna-se tetraplégico. Ele se envolve com Louise (Emilia Clarke) que foi contratada para cuidar do jovem. Na história, Matthew Lewis interpreta o até então namorado de Louise, Patrick.

Em uma entrevista durante a premiere do filme em Londres, Matthew falou sobre trabalhar com Emilia Clarke e o restante do elenco. “Ela é um sonho, muito encantadora e amável, muito talentosa e bonita. Eu me lembro do dia que estávamos no set pela primeira vez, e eu estava muito nervoso em conhecê-la e ela foi realmente adorável.”, disse o ator. 

Matt também comenta sobre o fato de parte do elenco terem se sucedido em grandes produções, confessando ser um pouco “geek”: “Havia Sam, em Jogos Vorazes, Emilia com Game of Thrones e Jenna, em Doctor Who. E você pensa, nossa, é uma junção de todas essas séries de ficção científica. E eu sou bem geek, para ser honesto, então quando parei para pensar nisso, achei muito legal.”

Confira o vídeo abaixo:


Recentemente, Matt concedeu uma entrevista à revista Fault Magazine, em que ele falou sobre sua carreira e como se sentiu quando soube da morte de Alan. Leia alguns trechos traduzidos da entrevista abaixo:

Você pode nos dizer um pouco sobre sua vida após Harry Potter? Como foi sua carreira depois de 10 anos de bruxaria?

M.L: Eu decidi fazer uma peça de teatro, por 192 vezes. Quando aconteceu, eu não sabia muito o que estava fazendo. É uma forma muito diferente da atuação para a qual eu fui preparado. Quando você sobe no palco, tudo tem que ser maior. Você não pode internalizar tanto quanto você faz na câmera, tem que ser maior para o público ter aquela experiência. E eu não entendia isso, e achava que estava gritando para a maioria das pessoas. Alguém descreveu a minha voz como “excruciante” e eu me lembro de ler aquela crítica e pensar ‘ooooh merda, faltam mais 191’. E eu acho que tive mesmo que me dedicar e assistir outros atores e diretores. Antes de acabar, depois de 3 ou 4 meses nisso, eu aprendi. Quando a peça acabou, as críticas eram completamente diferentes. Eu aprendi como projetar a minha voz ao invés de apenas gritar.

Você achou difícil quebrar com o modelo de Harry Potter?

M.L: Não, na verdade. A primeira coisa que fiz depois de Harry Potter foi um garoto não muito legal. Ele não era exatamente um personagem desejável. E então eu fiz um filme em que eu estava grosseiro e pronto; eu era capaz de “jogar” com meus músculos e peso um pouco, totalmente diferente de Neville. Eu não recebo ofertas desses papéis mais. O tipo amável, vulnerável e bochechudo de Neville. Eles apenas nunca chegam, não é como se eu os recusasse. Talvez eu seja apenas muito bom em interpretar um idiota haha. Neville era um personagem complexo, com sua história e coisas assim, mas eu sou mais desenhado em personagens que são tons de cinza. Eu não gosto da ideia do preto no branco. Eu sou desenhado em personagens que me fazem ter perguntas. O que fez ele desse jeito? Por que ele quer isso? Por que ele se comporta dessa maneira? É isso que acho interessante. E você só consegue isso a partir de personagens complexos e interessantes.

Alan Rickman deve ter sido um pilar tanto para você quanto para sua carreira. Como você reagiu quando soube que ele havia falecido?

M.L: Eu estava nos estúdios de Leavesden, visitando os sets de Animais Fantásticos e estava com o produtor que fez todos os filmes de Harry Potter. Ele estava me mostrando o estúdio quando soubemos da notícia. Nós dois ficamos completamente atordoados. E também, por estarmos no estúdio quando ficamos sabendo, de repente todas as salas em que entrei, cada corredor pelo qual passei, eu me lembrava de uma história ou da imagem de Alan. Foi bem estranho. Surreal. Mas muito tocante também. Foi legal estar lá. Todas aquelas lembranças felizes voltaram e eu fiquei bem nostálgico, na verdade. Eu voltei para casa na noite passada e assisti um monte de entrevistas com ele. É difícil descrever. No seu último dia (em Harry Potter), eu tomei chá com ele no seu trailer e nós apenas sentamos e conversamos sobre o futuro de minha carreira e o que eu deveria fazer. Ele me deu alguns conselhos de para onde deveria ir e me disse coisas que me encheram de confiança. E quando você escuta coisas assim de alguém com sua estatura e habilidade, significa muito.

Você pode acessar a entrevista completa aqui.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Recentes

recentposts

Leia também!

randomposts