sexta-feira, 31 de março de 2017

De fã pra fã: Descubra o The Making of Harry Potter



Saudações, Potterheads! Meu nome é Ana Paula, e há alguns anos eu sou newsposter aqui d’O Profeta Diário! Atualmente estou em Portugal fazendo meu intercâmbio, e nesse último mês de março tive a oportunidade de conhecer Londres, e de quebra fui ao Warner Bros Studio: The Making of Harry Potter. Nesse post eu conto pra vocês um pouco da experiência que tive nos estúdios, desde a compra do ingresso até o último setor do museu. Espero que vocês gostem, e que sirva de ajuda pra quem pretende visitar o estúdio em breve.

Comprando o ingresso:

Os ingressos para o tour são vendidos apenas online, no site dos estúdios. Por lá você escolhe o dia e hora da visita. É recomendável a compra com pelo menos um mês de antecedência, principalmente se você for em alta estação (verão ou férias escolares). Eu fui em março, ainda inverno em Londres, e mesmo assim vários dias já estavam esgotados quando comprei, exatos 30 dias antes. Os ingressos para minha categoria (acima de 16 anos) custaram 37 libras (cerca de 145 reais, na cotação atual). No momento da compra você escolhe se quer que o ingresso seja enviado até você por correio – o que cobra uma taxa –, ou se deseja retirar na hora – que é gratuito. Optei pela segunda forma e busquei no dia do tour, precisando mostrar uma identidade – passaporte – e, o número da minha reserva.

Como chegar:

O estúdios ficam em Leavesden, a cerca de 32 km de Londres, e a maneira mais barata de chegar até lá é de trem. Saindo da estação Euston, você pega um trem até a estação Watford Junction, o que leva cerca de 20 minutos. Para isso, você pode comprar o bilhete separado na estação, ou carregar no seu cartão Oyster – que é o cartão de transporte público de Londres. Os bilhetes separados ficam em torno de 17 libras (ida e volta), e se carregar no Oyster o preço sai a cerca de 10 libras (ida e volta). Você pode comprar seu cartão em qualquer estação de metrô da cidade, e ele custa 5 libras. O melhor é que depois você consegue devolver o cartão e recebe suas 5 libras de volta. Como eu fiquei em Londres por 4 dias, acabei usando o cartão para outros locais, e no fim da viagem, me devolveram minhas 5 libras! Bom, né?


Ao chegar na Watford Junction, você pega um ônibus da Warner que deixa os visitantes, literalmente, em frente aos estúdios. O bilhete custa 2,50 libras, e você usa o mesmo para ir e voltar. Portanto, guarde seu bilhete. O trajeto no ônibus dura cerca de 10 minutos. É recomendado chegar com 40 minutos de antecedência aos estúdios, mas nós chegamos com umas três horas antes do nosso horário, e acabamos conseguindo entrar mais cedo.

O tour:

Pra mim, o tour já começou no ônibus que vai até os estúdios. Ele é de dois andares – típico de Londres – e completamente plotado com a temática e imagens do estúdio. Vale a pena ir no andar de cima, e já vivenciar a experiência dos ônibus londrinos! Já dentro do automóvel, um vídeo curto fica passando dizendo o que você vai encontrar no seu destino. Vale dizer também que os motoristas são extremamente amigáveis, e fazem você se sentir em uma espécie de Noitebus Andante haha


Chegando aos estúdios, é possível ver algumas das estátuas que compunham o xadrez de bruxo gigante. Depois de alguns longos minutos de pura admiração e incredulidade, é hora de buscar seus ingressos. Se você marcou a opção gratuita de buscar na hora, você precisa pegar uma fila para trocar seu comprovante pelo ingresso mais um “passaporte bruxo”. Feito isso, você entra de fato no estúdio. Ou melhor, no hall. A primeira coisa que você vê são as fotos dos atores espalhadas na parte superior da sala, junto a réplica do Ford Anglia e um giroscópio gigante. Mais uma vez você entra em uma fila, dessa vez para começar o tour de fato. O primeiro set visível fica ainda fora dos estúdios, e é o menor de todos: o armário embaixo das escadas. Todos os sets tem essa área de segurança, e a gente não pode mesmo tocar em nenhum deles.



Quando a fila acaba, você entra em uma sala com vários pôsteres dos filmes em diferentes línguas. Uma moça do staff espera que todos daquela sessão cheguem e começa a falar de tudo o que tem pra ser visto nos estúdios. Ela avisa que a próxima sala que vamos entrar vai ser exibido um vídeo curto, e pediu que não filmássemos ou fotografássemos nada. A partir dali, estamos – agora, de verdade – no tour. O primeiro local a ser visitado é o Salão Principal, e o único que conta com alguém como guia. Após esse set, a visita é auto guiada. O estúdio é gigante, e as partes externas também são abertas ao público. Mas não se preocupe, pois todo o percurso é bem fácil de ser feito, e não há muitas chances de você sair sem ver de tudo um pouco.

A primeira parte do tour é nos estúdios cobertos. Ali podemos ver sets como o salão comunal da Grifinória, o escritório de Dumbledore, a sala da Mansão dos Malfoy – na cena em que a professora Caridade Burbage é assassinada –, a cabana do Hagrid e A’Toca. Também estão expostos itens e outros objetos usados nas gravações. Você pode ver um pouco mais de perto a partir das fotos abaixo:






Várias partes do estúdio são interativas, e você pode, por exemplo, ter uma pequena aula de duelos, testar suas habilidades no quadribol e ordenar a sua vassoura que “SUBA”, além de gravar um vídeo montado em uma vassoura! Em cada um desses sets interativos, existe a possibilidade de você fazer uma foto ou vídeo, que pode ser retirado depois, cobrando uma tarifa. Eu fui em todos, mas não cheguei a comprar nenhum, então, tenho apenas fotos não oficiais rs



Saindo da parte coberta dos estúdios, entramos na Plataforma 9¾ do museu. Ali vemos o Expresso de Hogwarts e três réplicas dos malões atravessando a parede, bem próximos do que você encontra na Plataforma 9 e ¾ original, na Estação King’s Cross. Além disso, é permitido entrar na locomotiva, que teve cada um de seus vagões decorados com um dos filmes. É incrível a riqueza de detalhes e preocupação em deixar aquilo tudo real. Parece mesmo que os estudantes acabaram de desembarcar para mais um ano na Escola.


Esse também é um dos set interativos, em que você tem a experiência de estar, de fato, indo para Hogwarts, e ver os locais por onde o Expresso passa até chegar ao Castelo. Tudo transmitido através de um chroma-key acoplado à janela do trem.

A seguir, existe um restaurante em que você compra sua cerveja amanteigada! Existe a versão no copo de plástico e na caneca. A segunda é mais cara, mas compensa bastante pelo souvenir que você acaba levando pra casa. Minha experiência com a cerveja foi melhor do que eu imaginava, e ela é até bem gostosinha. Existe também o sorvete de Butterbeer, mas esse eu não experimentei. Fica pra vocês me contarem, beleza?


Na parte externa dos estúdios, temos o Noitebus Andante, a casa dos Potter, a casa dos Dursley e a ponte de Hogwarts! Mais uma vez, os detalhes impressionam. Nessa parte temos também o Ford Anglia e a moto do Sirius, um ao lado do outro. E sim, você pode entrar e “conduzir” ambos.



Saindo daí, vamos ao setor de artes visuais do estúdio, em que encontramos informações sobre os efeitos, máscaras e outros adereços que cada personagem precisou. Seguindo em frente, temos o Beco Diagonal presente em Enigma do Príncipe – com a loja do Weasley <3 – e finalmente, a maquete gigante de Hogwarts. Essa última foi usada para as cenas aéreas da escola, e é outro momento mágico do tour. 


A visita acaba na loja do estúdio, em que você encontra de TUDO! Varinhas, cachecóis, vassouras, chapéu seletor, artigos de papelaria, canecas, souvenirs, roupas, doces e ursos de pelúcia. Os preços são altos, mas vale a pena adquirir uma lembrancinha.

Cada instante impressiona. Todos os lugares são ambientados com  músicas dos filmes, o que te faz mergulhar de cabeça naquilo tudo. Entrar no Salão Principal foi, de longe, a melhor parte. Mágico, em cada sentido que a palavra transmite. Ao mesmo tempo em que me sentia – finalmente! – uma estudante de Hogwarts chegando pela primeira vez à Escola, a emoção de saber que ali foram gravadas cenas com os atores que admiro transformou o momento em um dos melhores que já tive. Todo fã deve e merece ir, sentir e conhecer essa parte do mundo mágico. Vale cada centavo.

DICAS:

- Vá com antecedência. O passeio dura cerca de 3 horas, mas eu fiz em 5, sem pressa e com muito cuidado a tudo. Meu horário era só para as 15h30, mas como cheguei 3 hs antes, pedi pra entrar e nos deixaram!
- Coma em casa, ou leve lanche. Como eu disse, existe uma cafeteria no estúdio, mas nada muito em conta. E confie em mim, você vai querer gastar o seu dinheiro com outras coisas por lá. Oportunidade pra gastar é o que não falta. E eles deixam comer nos estúdios, só em algumas salas que não é permitido.
- Leve um guarda-chuva/capa de chuva. Você estará em Londres, a cidade que chove o tempo todo. E como existem sets ao ar livre, é sempre bom se prevenir, certo?
- Certifique-se de memória e bateria no celular/câmera. Você vai tirar MUITAS fotos.
- Não hesite. Se você vai a Londres, e tem dúvidas quanto ao The Making of Harry Potter, confie em mim e vá. É a melhor experiência que um fã pode ter.

Ah, e fiquem ligados n’O Profeta, que logo eu vou postar também sobre locais em Londres que serviram como inspiração e até mesmo locação para Harry Potter, além de um post dedicado a Portugal e sua relação com J.K.Rowling e a série.

Você já foi ou pretende ir ao Warner Bros Studio - The Making of Harry Potter? Ficou com alguma dúvida? Deixe-nos saber nos comentários!


Um comentário:

  1. Adorei!!! Vou começar a juntar dinheiro agorinha mesmo!
    Obrigada por dividir com a gnt!

    ResponderExcluir

Recentes

recentposts

Leia também!

randomposts