27.1.16

Pottermore: Transporte mágico que vai além das vassouras


O Pottermore lançou um novo texto lembrando os transportes mágicos mais incomuns que Harry e seus amigos usaram nos livros. Leia nossa tradução abaixo!

Transporte mágico que vai além das vassouras

Apesar de nenhum modo de transporte em Harry Potter ser exatamente monótono (todos nós gostaríamos de uma Firebolt para o Natal, por favor), alguns definitivamente são mais estranhos que outros.

Esqueça os seus modos típicos de locomoção mágica: vassouras, aparatação, chaves de portal e Pó de Flu - nós lembramos das vezes que Harry e seus amigos foram a alguns lugares através dos mais peculiares meios.

Rede de Vasos

Você se imagina dando descarga em você mesmo no banheiro toda manhã para ir ao trabalho? Não, achei que não. Mas quando o Ministério da Magia estava sob amaça, as (muito mais normais) cabines telefônicas que os funcionários usavam para chegar na sede do poder bruxo britânico estavam fora de alcance. Então ficamos com o banheiro público, pés primeiro.

Sentindo-se excepcionalmente tolo, Harry entrou no vaso. Percebeu imediatamente que fizera a coisa certa; embora parecesse estar dentro da água, seus sapatos, pés e vestes continuaram secos. Ele esticou o braço, puxou a corrente e, no momento seguinte, desceu veloz por um cano curto e emergiu em uma lareira no Ministério da Magia.

Harry Potter e as Relíquias da Morte

O Nôitibus Andante

Quando Harry se viu na infeliz posição de ter inflado sua tia, ele não tinha para onde ir. Felizmente, ele foi assustado pela visão do Sirius Black em sua forma animal e acidentalmente chamou o Nôitibus Andante, um veículo "roxo berrante" contendo camas para os passageiros dormirem e com a habilidade de pular 150 quilômetros em segundos.

...um ônibus de três andares, roxo berrante, que se materializara do nada. Letras douradas no para-brisa informavam: O Nôitibus Andante. 

Por uma fração de segundo, Harry ficou imaginando se o tombo o teria deixado abobado. Então, um condutor de uniforme roxo saltou do ônibus para anunciar em altas vozes aos ventos da noite: 

– Bem-vindo ao ônibus Nôitibus Andante, o transporte de emergência para bruxos e bruxas perdidos. Basta esticar a mão da varinha, subir a bordo e podemos levá-lo aonde quiser.

Harry Potter e o Prisioneiro de Azkaban

Testrálios

Esses cavalos alados, invisíveis para qualquer um que não tenha testemunhado a morte, não soam como as as criaturas mais fofas para se montar. Harry, que montou no Bicuço, o Hipogrifo (outra criatura alada, meio cavalo, meio águia gigante), com sucesso, já tinha uma vantagem, mas para seus amigos que ainda não tinham encarado a morte cara a cara, montar em um testrálio foi um pouco mais assustador:

– Ah, é fácil – falou Luna, descendo de boa vontade do seu Testrálio e se encaminhando para Rony, Hermione e Gina. – Venham aqui... 

Luna os levou até os outros Testrálios que estavam parados e ajudou os amigos, um a um, a montarem neles. Os três pareceram extremamente nervosos quando a garota enrolou as mãos deles nas crinas dos animais e lhes disse para segurarem com firmeza; depois voltou para a própria montaria. 

– Isto é loucura – murmurou Rony, passando a mão livre desajeitadamente pelo pescoço do cavalo. – Loucura... se eu ao menos pudesse ver o bicho...

Harry Potter e a Ordem da Fênix


Centauros

Depois de topar com uma criatura encapuzada bebendo sangue de unicórnio na Floresta Proibida, Harry precisava de uma saída especialmente rápida. Ele a encontrou na forma do Firenze, um centauro que cometeu um pecado mortal aos olhos de seu amigo Agouro ao permitir que Harry montasse nas suas costas.

– Firenze! – Agouro trovejou. – O que é que você está fazendo? Está carregando um humano! Não tem vergonha? Você é uma mula?

Harry Potter e a Pedra Filosofal

Ford Anglia voador

Arthur Weasley, o fã dos trouxas, tinha muito orgulho de seu Ford Anglia azul. Sua mulher, Molly, podia nunca ter descoberto suas, er, características especiais... se Harry e Rony não tivessem se encontrado inexplicavelmente incapazes de acessar a Plataforma Nove Três-Quartos. A dupla decidiu agir impulsivamente e pegar emprestado o carro voador do Arthur, ao invés de esperar e perguntar a ele um rota alternativa para Hogwarts. Uma pena para o Arthur que o carro acabou no Salgueiro Lutador, mas pelo menos os meninos chegaram a tempo do banquete de início de ano.

– Podemos voar para Hogwarts no carro! 
– Mas eu pensei... 
– Estamos imobilizados, certo? E temos que voltar para a escola, não é? E até os bruxos de menor idade podem usar a magia quando há uma emergência grave, seção dezenove ou coisa assim da Lei de Restrição ao... 
[...]
A sensação de pânico de Harry de repente se transformou em excitação. 
– Você sabe voar? 
– Não tem problema – disse Rony, virando o carrinho de frente para a saída.

Harry Potter e a Câmara Secreta


Fawkes, a Fênix

Poucas pessoas, até mesmo bruxos, são capazes de dizer que viajaram em uma fênix. O animal de estimação do Dumbledore, Fawkes, não apenas salvou a vida de Harry e Gina na Câmara Secreta; ele também conseguiu carregar ambos estudantes feridos, além do Rony e um seriamente confuso professor Lockhart, para fora do subterrâneo lar do Basilisco. 

... Harry esticou a mão e agarrou a cauda estranhamente quente de Fawkes. 

Uma leveza extraordinária pareceu se espalhar por todo o seu corpo e, no segundo seguinte, o grupo voava pelo cano em meio a um farfalhar de asas.

Harry Potter e a Câmara Secreta
Dragões

A maioria das pessoas não consideraria voar em um dragão sob nenhuma circunstância, a não ser se estivessem sob um perigo mortal. Mas se encontrando encurralados por uma multidão de duendes em Gringotes, Harry decidiu libertar um particularmente furioso cuspidor de fogo que guardava os cofres. Felizmente, o dragão tinha uma pele tão grossa que nem notou Harry, Rony e Hermione agarrando suas escamas enquanto ele voava para longe.

Não havia como conduzir o dragão; o animal não via aonde estava indo, e Harry sabia que, se ele desse uma guinada ou virasse de barriga para cima em pleno voo, eles não poderiam se agarrar às suas costas largas. Apesar disso, à medida que ganhavam altitude, e Londres se desdobrava abaixo como um mapa verde e cinzento, Harry sentia um avassalador sentimento de gratidão por uma fuga que parecera inviável.

Harry Potter e as Relíquias da Morte

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Recentes

recentposts

Leia também!

randomposts