quarta-feira, 9 de março de 2016

Segundo texto de “Magia na América do Norte” nos mostra os julgamentos de Salém e mais


A segunda parte da série “Magia na América do Norte” foi liberada hoje e estamos extremamente animados com todas as informações que vieram à tona. O texto “Do século XVII em diante” traz uma série de dados sobre os bruxos que imigraram para a América e as dificuldades de adaptação ao “Novo Mundo”, além de mostrar como se deu os julgamentos de Salém, a criação de um grupo de bruxos das trevas chamado “Purgantes” e o nascimento do MACUSA! Tudo isso reunido em um só texto que você pode ler aqui.

Logo no início, o texto traz os motivos que levaram os bruxos europeus a migrarem para a América, e as dificuldades que eles encontraram no continente: que vai desde precariedade das instalações e falta de conhecimento do local, até o surgimento de um grupo de bruxos e bruxas das trevas: os Purgantes. “Como a comunidade bruxa norte-americana era reduzida, dispersa e reservada, não possuía ainda nenhum mecanismo próprio para manutenção da ordem. Um vácuo que acabou preenchido por um grupo inescrupuloso de bruxos mercenários de muitas nacionalidades diferentes, que formaram uma temida e brutal força-tarefa comprometida em caçar não apenas criminosos, mas qualquer um que pudesse render algum ouro. Com o passar do tempo, os Purgantes se tornaram incrivelmente corruptos: distantes da jurisdição de seus governos mágicos de origem, muitos se entregaram ao autoritarismo e à crueldade de uma maneira injustificável pela missão assumida. Tais Purgantes apreciavam o derramamento de sangue e a tortura, e até mesmo traficaram outros bruxos.”

O texto também trouxe a questão dos julgamentos de Salém, e uma importante consequência dos mesmos: a criação do MACUSA. “Mas talvez o efeito mais expressivo provocado por Salém tenha sido a criação do Congresso Mágico dos Estados Unidos da América em 1693, antecipando a versão não-majs em cerca de um século.”

"Do século XVII em diante" citou Ilvermorny em seus primeiros anos, tratando-se apenas de uma "cabana rústica com dois professores e uma dupla de irmãos órfãos como alunos."

Um ponto que chamou a atenção de todos foi um dos últimos parágrafos, que conta que alguns Purgantes não foram julgados pelo Congresso e permaneceram soltos, espalhando-se pela comunidade não-maj: “Alguns se casaram com não-majs e formaram famílias em que as crianças mágicas pareciam ser depreciadas em favor dos filhos não-mágicos, para manter o disfarce do Purgante. Vingativos e segregados de seu povo, eles transmitiram a seus descendentes a convicção absoluta de que a magia era real e a crença de que bruxas e bruxos deveriam ser exterminados onde quer que fossem encontrados.” Isso nos lembra a personagem Mary Lou – líder das “Second Salemers” em Animais Fantásticos e Onde Habitam. Teria ela alguma relação com os Purgantes? Deixe sua opinião e teorias sobre o texto nos comentários!

Amanhã tem mais material feito pela nossa amada J.K. Rowling, e você confere qualquer novidade por aqui. Não se esqueça de também nos seguir pelo twitter (@oprofetasite).



Nenhum comentário:

Postar um comentário

Recentes

recentposts

Leia também!

randomposts